Capa > Destaque > O uso da Argamassa Estabilizada foi assunto do projeto Terça no Crea dessa semana

O uso da Argamassa Estabilizada foi assunto do projeto Terça no Crea dessa semana

O projeto Terça no Crea desta semana, trouxe ontem (14.05), ao auditório do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), o tema: Industrialização na Construção Civil: uso de argamassa estabilizada dosada em central misturadora.

Como expositores tivemos a participação do engenheiro civil, formado pela Escola Politécnica da UPE, Amir Schvartz, profissional com experiência como Coordenador da Defesa Civil (Codecir), Diretor de Obras da URB, Secretário de Planejamento, Obras e Desenvolvimento Urbano e Ambiental da Prefeitura do Recife e, atualmente desempenha a atividade de diretor da MR Artefatos, além das presenças do professor de matemática e Técnico em Construção Civil, prof. Cláudio Teles, e o administrador e empresário, representante da MC Bauchemie Brasil, Paulo Cabral.

A palestra teve início com a palavra do engenheiro Amir, apresentando seus convidados, iniciando o debate sobre as principais diferenças no uso da argamassa de obra, chamada de argamassa comum, e a argamassa estabilizada, já muito utilizada nos dias atuais nas construções civis.

Segundo o professor Cláudio Teles, primeiro palestrante da noite, a superioridade da argamassa estabilizada, está desde sua composição, hoje formada por cimento, areia, água e aditivos especiais, este último componente responsável por manter sua caraterística em estado fresco por longos períodos (até 72 horas). Com isso é possível uma melhor logística de atendimento e aplicação na obra, proporcionando mais economia, agilidade e qualidade.

Para Paulo Cabral, a argamassa estabilizada pode ser aplicada em qualquer tipo de trabalho onde a argamassa convencional é indicada, como por exemplo: emboço, reboco e nos assentamentos de alvenaria em blocos. Entre suas vantagens estão a maior agilidade na execução da parede em alvenaria; facilidade de manuseio e transporte; eliminação da etapa de preparo; economia de mão de obra; canteiro de obra mais limpo e organizado; menos perda de material, e consequentemente maior produtividade na obra em questão.

Por fim, Paulo também apresentou quais aditivos químicos mais usados e as linhas de produtos que hoje a MC Bauchemie já dispõe para o mercado.

No encerramento, o evento contou com o sorteio de uma bolsa para o curso de Perícia e Avaliação de Imóveis, disponibilizado pelo parceiro Central Base Cursos, e logo após abriu-se o momento para perguntas e respostas, aos convidados presentes.

Free WordPress Themes - Download High-quality Templates