Moção de solidariedade aos Creas do Sudeste é aprovado no Fórum de Presidentes do NE

O presidente do Crea de Pernambuco, José Mário Cavalcanti, informou hoje (20), em Natal, durante o Fórum dos Presidentes do Nordeste, aos presidentes dos Creas da Região sobre a visita, na última terça-feira (18), aos Crea-RJ, onde foi prestar solidariedade aos Creas do Sudeste, cujos estados foram atingidos pelas enchentes deste ano. O presidente disse que ofereceu a expertise do Grupo Técnico (GT) Palmares com o intuito de ajudá-los na reconstrução das cidades devastadas pelas enchentes. A partir dessas informações repassadas por José Mário Cavalcanti, os presidentes dos Creas do Nordeste aprovaram uma moção de solidariedade aos presidentes dos Creas do Sudeste.

“Passamos por momento semelhante, guardando as devidas proporções, durante as enchentes na Zona da Mata pernambucana. Tivemos a sorte de que os governadores (PE e AL) acreditaram nas informações dos meteorologistas e evacuaram as áreas, minimizando as perdas humanas. Relatamos a nossa experiência, no Rio de Janeiro, e nos oferecemos a fazer parte de uma força tarefa que será criada. Acho que cabe a ajuda de todos os presidentes dos Creas”, convocou José Mário Cavalcanti.
 
O presidente José Mário Cavalcanti falou também sobre a sugestão da Rede Nacional de Segurança e Tecnologia para Enfrentamento de Desastres, funcionará por meio da estrutura existente do Sistema Confea/Crea/Mútua e Entidades, tem o objetivo de oferecer ao Conselho Nacional de Defesa Civil e às Administrações do Poder Público, as condições técnicas e objetivas para um preciso e eficiente modelo de prevenção, planejamento, gestão, execução de ações de defesa, resgate, mitigação e construção das áreas atingidas. A proposta visa reduzir, significativamente, as perdas humanas e materiais das populações por desastres

 

PALMARES – O presidente reuniu um grupo técnico com cerca de 50 profissionais voluntários para trabalharam em prol da reconstrução daquele município. Com recurso Confea, na ordem de R$ 100 mil, o grupo técnico foi a campo, onde realizou coleta de dados, elaborou estudos, projetos e criou metodologia inovadora com base na tecnologia da informação. A implantação de software nos celulares garantiu rapidez e precisão na coleta e tratamento das informações e a geração de banco de dados de cerca de 27.500 imóveis públicos e privados danificados pelas chuvas de junho de 2010, em toda a Mata Sul do Estado.