Crea-PE e Aespe assinam termo de parceria nesta segunda-feira

Documento consolida uma articulação iniciada em janeiro deste ano e vai facilitar o trabalho conjunto das entidades

O Crea-PE e a Associação dos Engenheiros de Segurança do Trabalho de Pernambuco (Aespe) firmaram nesta segunda-feira (9) o termo de parceria. A assinatura consolida uma articulação iniciada em janeiro deste ano e vai facilitar o trabalho conjunto das entidades. O encontro, na sede do Conselho, contou com a participação, da parte do Crea, do presidente Adriano Lucena, do superintendente Nielsen Christianni, do chefe de gabinete, Ermes Costa. Já pela Aespe estiveram presentes o presidente Audenor Marinho, o vice-presidente Luiz Antônio de Melo, a diretora administrativa Giani Câmara e o diretor de assuntos jurídico, Ronaldo Borin.

“O termo assinado entre a Aespe e o Crea-PE oficializa uma parceria já existente de cooperação entre as entidades que visa promover as ações de segurança e de saúde no trabalho junto a empresas e aos profissionais registrados no sistema, profissionais de engenharia, de segurança no trabalho. O intuito é levar à sociedade informações, trabalhos voltados à proteção do trabalhador nos seus ambientes de trabalho”, destaca Marinho. Para ele, o termo vai facilitar todas essas tratativas entre as duas entidades, desde a divulgação de eventos que as entidades podem fazer em conjunto até a busca de parcerias junto ao Governo do Estado e prefeituras para serem feitos ações com esses órgãos e assim promover a segurança no Estado.

Marinho afirma que a associação vai colocar em prática ideias de trabalhos conjuntos, que deverão ter o apoio do Crea. “No interior, a gente vê uma dificuldade muito grande. São projetos familiares, onde você tem o produtor lá na pontinha, o cara que está de sandália, no meio do curral, tirando leite de vaca. Uma dificuldade muito grande de segurança, de saúde para esses trabalhadores. Eles não têm uma orientação. Nossa ideia era juntar forças e chegar junto ao Governo do Estado com um projeto para fazer um trabalho, como também no polo de confecção de Caruaru, no polo gesseiro, em Araripina, toda a parte de agricultura de Petrolina e região. Esse termo assinado hoje mais do que instiga, já que estamos munidos de um documento formal”, atesta Marinho.

Adriano Lucena colocou o Crea à disposição. “Conte conosco no que for possível”, garante Lucena. Para Nielsen Christianni, esse termo de parceria com a Aespe é uma consolidação de uma articulação, de uma parceria institucional que o Crea já vem mantendo com a entidade desde o início do ano. “O termo vai permitir consolidar ações conjuntas, ampliar essas ações em prol da segurança do trabalho voltado para os diversos tipos de empresas e, dessa forma, contribuir com esse momento mais crítico que o mundo está vivenciando com a pandemia. Isso vai permitir dar uma contribuição maior para a sociedade e para os trabalhadores”, assegura Christianni.

Marinho aproveitou o encontro para pedir apoio ao Crea na organização do Congresso Nacional de Engenharia do Trabalho (Conest) de 2022, que deverá ser no Recife. “Estamos querendo fazer o maior evento de todos. A média de participantes é de 400/500 profissionais e a meta é fazer um evento para 600/800 profissionais”, contabiliza o presidente da Aespe.
Segundo ele, o público de segurança do trabalho tem um potencial grande e atrai gente de capitais próximas. “Recife é referência para segurança do trabalho para as outras regionais”, atesta Marinho, que ainda reconheceu o apoio do Crea na assessoria jurídica para contestar oferta de vagas com salários abaixo do piso mínimo profissional.

Adriano Lucena lembra que o Crea judicializou vários editais que ofereciam vagas com salário sem pagar o piso, com alguns sucessos conquistados na Justiça.