Reforma tributária pode baratear custo de energia, defende assessor de Furnas

luiz aranha1O assessor da presidência de Furnas, engenheiro Luiz Oswaldo Norris Aranha, explanou, na tarde desta quinta-feira (14), durante a 71° Soea, sobre a Matriz Energética Brasileira, quando fez uma série de reflexões sobre o tema. Enquanto falava sobre os custos da energia, o engenheiro ponderou que apenas cobrar que as empresas pausem aumentos não é a solução. “Nós realmente temos de baixar o preço da energia, mas não se consegue isso estrangulando as empresas. É necessário fazer uma reforma tributária geral no País, não só no campo da energia”, considerou.

A tutela sobre as estatais foi outro ponto destacado pelo engenheiro Luiz Oswaldo Aranha. Ele aponta como possível solução em favor de melhorias no serviço energético “minimizar certos entraves burocráticos e focar nos resultados, pois colocar dificuldades não é eficiente”. Para o engenheiro, o correto seria fiscalizar com maior eficiência, conforme se faz em outros países.

Ao citar os tipos de burocracia que podem interferir negativamente nos trabalhos das empresas, o palestrante citou a questão das licenças ambientais, mas enfatizou a importância que os documentos têm. “As licenças ambientais são muito importantes, mas não podem continuar levando até dois anos para sair”, apontou.

O engenheiro Luiz Oswaldo Aranha abordou, ainda, outras questões relacionadas às energias, como os temas: vetores energéticos, energia térmica e mecânica, energia eólica, fontes renováveis, energia solar, reservatórios plurianuais e financiamentos de novos empreendimentos.

Do Confea