Home > Arquivo > Salário Mínimo Profissional na pauta do dia

Salário Mínimo Profissional na pauta do dia

Recife, 09 de novembro de 2009 – O presidente do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), José Mário Cavalcanti, junto com o superintendente Osvaldo Fonsêca, recebeu hoje (09), em seu gabinete, o vereador do Recife Jurandir Liberal, além dos presidentes dos Sindicatos dos Médicos Veterinários de Pernambuco, Péricles Cavalcanti, da Associação dos Arquitetos, Agrônomos e Engenheiros das Entidades da Administração Direta e Indireta da Prefeitura da Cidade do Recife (Assaepre), Miguel Arcanjo, da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Pernambuco (Aeape), Alexandre Queiroz e o representante do Sindicato dos Químicos, Valmar Rios.

O motivo da reunião foi a retomada das discussões sobre o cumprimento da Lei nº 4.950/66, que dispõe sobre a obrigatoriedade do pagamento do Salário Mínimo Profissional. O assunto foi iniciado pelo presidente da Assaepre, Miguel Arcanjo, que fez uma retrospectiva dos fatos mais recentes envolvendo a questão. Ele ressaltou ainda o apoio do Crea-PE, que tem como gestor uma “pessoa sensível à luta”.

Para o vereador e engenheiro Jurandir Liberal, a questão já deu alguns passos positivos para obtenção do benefício. O primeiro deles, diz respeito ao fato de o assunto ter sido encaminhado para a ordem do dia na Câmara. O segundo ponto é que há promessa do prefeito do Recife, João da Costa, de se fazer cumprir o que ficou acordado ainda na gestão do prefeito João Paulo. E o terceiro fator é relativo ao conhecimento de todos os secretários municipais sobre a questão.

Para o parlamentar, esses fatores ajudarão na conquista até, no máximo, em março de 2010, quando ocorrerá o próximo reajuste da categoria. “Pode acontecer antes, mas caso não ocorra, certamente não passará de março”, prevê o vereador, que ainda sugeriu que os sindicatos das categorias, a sociedade e as entidades profissionais, tendo o Crea-PE na linha de frente, marquem reunião com advogados e procuradores.

Na opinião do presidente José Mário Cavalcanti, aviltar salários é estratégia de governos neoliberais com o objetivo de destruir cabeças pensantes. “Precisamos implantar uma nova cultura, que mostre a importância das nossas profissões à sociedade”, disse José Mário Cavalcanti, que propôs, como presidente do Fórum das Entidades, representar todas as categorias em audiência a ser marcada com o prefeito João da Costa.

 

Check Also

Novo diretor financeiro da Mútua será eleito hoje

Cumprindo determinação do Confea, através da Resolução 1.117/19, bem como a Deliberação nº 147/2020-CEF, aprovada …