Capa > Destaque > Coordenação da FPI promove curso de Gestão Ambiental Municipal para gestores públicos do Pajeú

Coordenação da FPI promove curso de Gestão Ambiental Municipal para gestores públicos do Pajeú

Capacitação reunirá profissionais dos municípios onde a ação está ocorrendo e terá participação da promotora Luciana Khoury, idealizadora do programa

Passou desta quarta (8) para a quinta-feira (9), na sede do Ministério Público de Pernambuco em Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú, o seminário As Perspectivas da Gestão Ambiental Municipal, que profissionais envolvidos no programa Fiscalização Preventiva Integrada de Pernambuco (FPI/PE) promoverão com gestores públicos, técnicos, professores, estudantes e representantes de entidades da sociedade civil organizada, dos seis municípios abrangidos pelo programa: Carnaíba, Ingazeira, Iguaraci, Tabira e Tuparetama, além de Afogados. O encontro irá das 8h às 18h, numa importante iniciativa de difusão de conhecimento sobre gestão ambiental municipal.

O adiamento foi decidido para que a capacitação tenha a participação da promotora Luciana Khoury, coordenadora do Núcleo de Defesa da Bacia do São Francisco (NUSF), do Ministério Público da Bahia (MPBA), que em 2002 idealizou o programa FPI como forma de proteger o Rio São Francisco. Com a primeira etapa do programa em Pernambuco, hoje em andamento, as ações passam a ser levadas aos cinco principais Estados que compõem a Bacia do Velho Chico.

Integrantes da equipe de Educação Ambiental da FPI estão visitando todos os seis municípios, desde a semana passada, recolhendo informações e fazendo a convocação para o encontro. Vão participar representantes dos conselhos municipais de Meio Ambiente, técnicos das secretarias municipais de Meio Ambiente e Educação, promotores de Justiça das cidades, técnicos que atuam nas áreas de licenciamento e fiscalização ambiental, professores e alunos de escolas técnicas, entre outros.

A finalidade da capacitação é apresentar os passos para descentralizar a gestão ambiental, com orientações sobre as exigências para criação das equipes técnicas e as vantagens que a adoção dessa atribuição traz para os municípios. Na pauta do encontro, ainda, o Sistema Municipal de Meio Ambiente, Deveres da Administração Pública, Educação Ambiental, Licenciamento e Fiscalização.

CURRÍCULO ESCOLAR – A Educação Ambiental deve ser incluída no currículo escolar, de forma transversal, em todos os níveis de ensino. Com o objetivo de garantir que essa exigência legal se converta em prática, a Equipe Gestão e Educação Ambiental do FPI/PE está se reunindo com os representantes das gestões municipais da região do Sertão do Pajeú, visitando as Secretarias a fim de buscar informações sobre como essas cidades estão agindo para cumprir a legislação. Há um questionário com as informações repassadas pelo poder público e também a coleta e análise do material fornecido por eles, como prova de que as ações efetivamente estão em curso.

Dentre os documentos que devem ser apresentados pelos municípios estão o Plano Municipal de Educação, a matriz curricular de cada cidade e os projetos político-pedagógicos de cada unidade de ensino. Já a gestão ambiental diz respeito à existência de estrutura legal e corpo técnico qualificado para que os municípios assumam a responsabilidade de efetuar o licenciamento ambiental em assuntos de impacto local. O coordenador do CAOP Meio Ambiente do MPPE, André Felipe Menezes, ressalta que equipes da FPI têm identificado certas deficiências nos municípios e, por isso, a importância do seminário sobre Gestão Ambiental Municipal.

INSTITUIÇÕES PARCEIRAS E EQUIPES – As instituições articuladas na Fiscalização Preventiva Integrada em Pernambuco são: Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado de Pernambuco (Adagro); ONG Animalia; Agência Nacional de Mineração (ANM); Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac); Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa); CemaFauna Caatinga/Univasf; Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF); Agência de Bacia Peixe Vivo; Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH); Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (CREA-PE); Fundação Nacional de Saúde (Funasa); Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe); Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama); Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra); Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan); Ministério Público Federal (MPF) e Estadual (MPPE); Polícia Militar de Pernambuco (PMPE / 23º BPM e Cipoma); Polícia Rodoviária Federal (PRF); Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas); e Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Free WordPress Themes - Download High-quality Templates