Capa > Destaque > Estudo sobre alvenaria estrutural mobiliza estudantes e profissionais no Terça no Crea

Estudo sobre alvenaria estrutural mobiliza estudantes e profissionais no Terça no Crea

Através da mostra de obras emblemáticas de alvenaria estrutural, como o Edifício Chicago, de 1889, 16 pavimentos, e o Hotel Excalibur, em Las Vegas, com  padrão alto de acabamento, 28 pavimentos, entre outros, o professor do IFPE, João Mota, Mestre e Doutor em Engenharia Civil, abriu a palestra sobre alvenaria estrutural na noite da terça, 01.09.

Durante mais de uma hora, através de novo formato, de Webinar do Terça no Crea, transmitido pelo Youtube (canal Crea-PE Oficial) o professor falou sobre modelo de reforço, focado em alvenaria resistente com argamassa armada com adição de metacaulim, citando três pilares: compressão , ductilidade e durabilidade, que garante algo a ser durável. A agenda foi compartilhada pelo presidente do Crea-PE, Evandro Alencar, que atuou como moderador.

Joao Mota mostrou cálculos de prédios caixão com parede sem reforço e com reforço, parede revestida, e padrões de segurança. Sobre vergas e contra vergas, disse serem peças indispensáveis em alvenaria estrutural. No mínimo, 20 cm de apoio para cada lado, destacou, acrescentando que cintas também são importantes no travamento, na amarração das paredes.

O professor disse que a interação entre as paredes é importantíssima. “A ideia numa edificação de alvenaria estrutural é de se criar uma espécie de monobloco onde se possa distribuir cargas. Blocos podem encaixar entre as fiadas. Uma das paredes falindo, existe distribuição de cargas para a parede vizinha,” falou o  professor.

Ele apresentou ainda resultados de ensaios, tipos de padrão nacional e internacional. “O conector que liga uma face a outra das paredes, tem papel determinante no sucesso do reforço.” Ao final, mostrou fotos e comentou o caso do Edifício Enseada de Serrambi, que no final dos anos 90, ruiu após 09 anos de concluído, em Olinda. “Foi falência das paredes do embasamento”, destacou analisando pontos sobre o que evitar.

O palestrante acha que regiões que não tem saneamento e há agressividade de agentes deletérios, a fundação deve ser com peças de concreto armado. Pesquisa de mestrado e doutorado dele, também foi apresentada. João Mota disse que realizou testes mecânicos na TECOMAT, mostrou fotos. Teor ideal de metacualim, é de 15%, segundo revela. Falou ainda sobre  uso do cimento, cal, areia, e do controle da relação água cimento.

A apresentação foi finalizada com fotos de ruptura de paredes, frágeis, com blocos quebrados por tração. O professor revelou amostras de ductilidade, com blocos rompidos internamente, ao serem submetidos a prensa. Entulharam, mas não romperam explosivamente, ressaltou.

No chat do Youtube, foram feitas perguntas sobre especificação de materiais, telas eletrosoldadas de amarração, técnicas aplicadas, entre outras. Vários estudantes e profissionais parabenizaram a agenda qualificada. Adelle Cordeiro, ​participante no chat, disse “parabéns para o professor e também para o CREA-PE pela iniciativa”.

Para facilitar acesso a mais informações, o Crea-PE informa link do professor João Mota para menu de publicações, como artigos e tese: joaomanoelfreitas.wixsite.com/joaomanoel

Clique Aqui para assistir o vídeo no canal do YouTube

Na próxima semana, dia 08.09, 19h, o Terça no Crea vai abrir edição especial de palestras, “Um Projeto para o Brasil”, série organizada pelo CTP, Comitê Tecnológico Permanente do Conselho. A estreia vai ser com a economista Tânia Bacelar, com o tema: “Brasil: Com base em que princípios construiremos uma sociedade mais justa”?

Inscrições gratuitas: https://www.sympla.com.br/webinar-terca-no-crea—um-projeto-para-o-brasil-do-comite-tecnologico-permanente-do-crea-pe__959131

Free WordPress Themes - Download High-quality Templates