Capa > Destaque > Evandro Alencar participa, em Brasília, de homenagem da Câmara dos Deputados aos 120 anos de fundação da Escola de Engenharia de Pernambuco‏

Evandro Alencar participa, em Brasília, de homenagem da Câmara dos Deputados aos 120 anos de fundação da Escola de Engenharia de Pernambuco‏

_MG_5397O presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), Evandro Alencar, participou nesta segunda-feira, (15) em Brasília, da sessão solene feita pela Câmara dos Deputados, em homenagem aos 120 anos de fundação da Escola de Engenharia de Pernambuco, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A cerimônia, ocorrida por indicação do deputado federal Jorge Côrte Real (PTB-PE), foi marcada pelas contribuições e avanços que a instituição de ensino superior proporcionou ao desenvolvimento social e econômico do Estado e do Brasil. Dirigentes, professores e parlamentares participaram da solenidade em Brasília.

Na tribuna da Câmara, o presidente do Crea-PE cumprimentou os integrantes da mesa, parabenizando o deputado Jorge Côrte Real, pela homenagem prestada. Cumprimentou também, o engenheiro Hélio Augusto Ferreira, que representou o presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), José Tadeu da Silva.

_MG_5642Ao falar sobre a instituição de ensino, Evandro Alencar ressaltou a sua importância. “É com grande orgulho e honra que participamos das comemorações dos 120 anos de fundação da Escola de Engenharia de Pernambuco, a quarta fundada no Brasil. Sabemos todos, do papel fundamental que a instituição tem desempenhado, durante mais de um século, tanto para o desenvolvimento de Pernambuco, como do País e, por entendermos que as escolas, universidades e institutos de educação representam a base para o progresso, é que estamos na busca incansável por uma maior e melhor integração com essas instituições”, disse Evandro Alencar.

Se reportando ao que falou na oportunidade, a deputada federal por Pernambuco, Luciana Santos, sobre a_MG_5463 importância da Engenharia para a criação dos polos de crescimento, para a caatinga e para o polo gesseiro do Estado de Pernambuco, o presidente disse, “Essa é uma nova visão. Uma visão que favorece e alavanca o desenvolvimento descentralizado”, opinou o presidente do Crea-PE, acrescentando que, como natural de Araripina, conhece de perto os benefícios e o crescimento da Região que tem como principal atividade, a exploração da gipsita, abundante no Sertão do Araripe”, concluiu.

 

“A Escola de Engenharia realiza um trabalho de fundamental importância na área do ensino superior no Estado. Associando a produção e a democratização do conhecimento, oferece oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional aos cidadãos e, ao mesmo tempo, contribui para impulsionar o crescimento social e econômico equilibrado da sociedade na qual está inserida”, disse o deputado Jorge Côrte Real.

O professor Maurício Pina destacou que a instituição, ao longo de sua trajetória, foi também berço para formação de líderes políticos, como os ex-governadores Manuel Borba e Carlos de Lima Cavalcanti, além do próprio deputado Jorge Côrte Real e da deputada Luciana Santos.

O deputado Jorge Côrte Real destacou ainda que, hoje, a Escola de Engenharia congrega, aproximadamente, cinco mil alunos matriculados nos 17 cursos de graduação e cerca de 500 na pós-graduação. E nos últimos anos, a média de egressos da graduação tem sido de 180 por semestre. O parlamentar relembrou a importância política da instituição, a segunda escola voltada para o ensino de Engenharia no Brasil em 1985.

Além Jorge Côrte Real, que presidiu a sessão, a mesa foi composta pelos professores Alexandre Schuler, diretor da Escola de Engenharia, Afonso Sobreira, vice-diretor da instituição, Edmilson Lima e Maurício Pina, presidente do Crea-PE, Evandro Alencar e os parlamentares Mauro Pereira (PMDB-RS), que representou o presidente da Câmara, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e Luciana Santos (PCdoB-PE).

Representando o reitor da UFPE, Anísio Brasileiro, o professor Edmilson Lima destacou o trabalho de inovação na Escola, através do programa Ciências sem Fronteiras. “Enviamos nossos alunos para o exterior para complementar a formação e trazer inovação tecnológica para o País. Passamos, em 2004, de 12 alunos para mais de 500, atualmente. Eles trazem o conhecimento e aplicam no novo cenário econômico do Estado”, afirmou.

 

Dilma Moura

ASC do Crea-PE

 

Free WordPress Themes - Download High-quality Templates