Capa > Destaque > Na 74 ª edição da Soea, em Belém, presidente Evandro Alencar presta homenagem a engenheiro pernambucano

Na 74 ª edição da Soea, em Belém, presidente Evandro Alencar presta homenagem a engenheiro pernambucano

Teve início na noite desta terça-feira, (08), no estado brasileiro que possui a maior bacia hidrográfica do mundo, a 74ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea), com o tema central sobre “A Responsabilidade da Engenharia e da Agronomia para o Desenvolvimento do País”, com destaque para o cenário socioeconômico e ambiental. Recursos hídricos, tecnologia, equidade de gênero e inserção internacional também estão entre os eixos que serão debatidos até a sexta-feira (11), pelos mais de 3,5 mil profissionais da área tecnológica, que participaram da solenidade de abertura do evento, realizada no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, de Belém (PA).

Como em todas as edições, a noite foi marcada por discursos e homenagens. Sem dúvida, o ponto alto da solenidade, foi o momento da entrega da Láurea ao Mérito a 24 personalidades e três instituições. As homenagens demonstram o reconhecimento do Sistema àqueles que registraram seu nome na história do desenvolvimento do País. Nesse sentido, o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (CREA-PE), Evandro Alencar, subiu ao palco do auditório para entregar, a Jane Machado, filha do engenheiro civil José de Medeiros Machado, a homenagem concedida in memoriam ao seu pai, profissional pernambucano, que teve o nome inscrito no Livro do Mérito.

Na cerimônia de abertura, o presidente do CONFEA, engenheiro civil José Tadeu da Silva, enfatizou que a responsabilidade dos profissionais da área tecnológica “vai além de construir moradias e viadutos, implementar saneamento e produzir alimentos; é construir o progresso do País”. José Tadeu destacou que o tema central da agenda leva à reflexão: “Uma Nação se desenvolve por meio do conhecimento e do notório saber técnico e científico”. Para ele, a responsabilidade ética na conduta e na forma de exercer a profissão também precisa ser colocada à disposição do Brasil.

Evidenciando aspectos históricos da capital paraense, o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado do Pará (Crea-PA), engenheiro agrônomo Elias da Silva Lima, recepcionou os participantes. “No século XIX aconteceu o despontar de Belém para a história da Amazônia e do Brasil. Graças ao período áureo do comércio da borracha, nesta época Belém era chamada de Paris na América. Hoje nós a transformamos na capital nacional da Engenharia e da Agronomia”, disse em alusão ao evento nacional que está realizando.

O diretor-presidente da Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea (Mútua), engenheiro civil Paulo Guimarães, chamou a atenção para os benefícios concedidos e para histórias que refletem a importância do Jubileu de Rubi da instituição, como o projeto Bolsas de Estudos e a Universidade Corporativa, que vão auxiliar filhos de profissionais e funcionários do Sistema, respectivamente. “São 40 anos materializando a essência da Mútua, que é o amparo aos profissionais. Não poderíamos ter ocasião melhor para comemorar o aniversário da Mútua do que na Soea”, diz.

Participações internacionais

Representando a União Pan-americana de Associações de Engenheiros, a engenheira Maria Tereza Dalenz pontuou que a Soea é uma grande oportunidade de transmitir conhecimento e tecnologia. “Agradeço ao presidente José Tadeu pela gentileza em viabilizar a participação da Upadi. Que tenhamos a partir deste evento mais conhecimento e que todos os objetivos sejam alcançados”, disse.
Já o presidente da Federação Mundial de Organizações de Engenharia (Fmoi), engenheiro mecânico Jorge Spitalnik, reconheceu o progresso da Engenharia brasileira. Aproveitou para apresentar ao público os trabalhos da “entidade que representa os mais de 20 milhões de engenheiros em todo o mundo e que tem o reconhecimento de parceiros, como a Unesco, por firmar cooperações na área de ciência e tecnologia”.

Homenagens

O trabalho de seleção dos homenageados é feito pela Comissão do Mérito, que neste ano tem como chanceler o conselheiro federal, engenheiro agrônomo Francisco Soares da Silva. Em discurso, ele ressaltou o histórico do Sistema, cujo início remete ao advento das primeiras escolas de fortificações instaladas no Brasil, seguido, na década de 1930, dos primeiros atos oficiais pela regulamentação das profissões da área tecnológica. “Nossos homenageados são os verdadeiros heróis das profissões que representamos”, lembra.

Neste ano, ao escolher os indicados para concorrer às honrarias do Sistema, a Comissão do Mérito adaptou seu trabalho às regras da Resolução nº 1.085/2016, que introduziu a categoria Menção Honrosa para pessoa jurídica, pública ou privada, com ou sem fins lucrativos, que se soma às duas outras categorias já existentes, a Medalha do Mérito e o Livro do Mérito. Dos 54 indicados pelos conselhos regionais, foram escolhidos 27, sendo 12 reconhecidos com a Medalha do Mérito, outros 12 homenageados in memoriam com inscrição no Livro do Mérito, além das três instituições.

Também fizeram parte do dispositivo de honra da solenidade da 74ª Soea, o vice-presidente do CONFEA, engenheiro agrônomo Daniel Salati; os coordenadores do Colégio de Presidentes, engenheiro eletricista Modesto Ferreira dos Santos e do Colégio de Entidades Nacionais, engenheiro agrônomo Angelo Petto Neto; a coordenadora nacional de Câmaras Especializadas de Engenharia Civil, engenheira civil Alice Scholl; e o estudante de Engenharia Jean Carlos Heringer.

Com informações do CONFEA.

 

 

Free WordPress Themes - Download High-quality Templates