Cidades destruídas pelas chuvas receberão auxílio de profissionais do Sistema Confea/Crea

As cidades da Mata Sul de Pernambuco que foram atingidas pelas últimas enchentes deverão receber assistência técnica de aproximadamente 50 profissionais ligados ao Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE). A decisão foi tomada após reunião do presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, com o secretário de Recursos Hídricos de Pernambuco, João Bosco, do representante da secretaria das Cidades, Carlos Raimundo Munil da Cunha, e dos presidentes das entidades de classe vinculadas ao Sistema Confea/Crea/Mútua. A reunião aconteceu na última quinta-feira (1°), na sede do Conselho. A ação conta com total apoio das entidades de classe.

No encontro, o secretário João Bosco apresentou a situação dos locais atingidos e detalhou algumas das principais iniciativas do Governo de Pernambuco para ajudar a população. Entre as ações, o secretário destacou a presença de pelo menos uma secretaria em cada município atingido. Na ocasião, ele também chamou atenção para o papel da Engenharia nessa situação. “Hoje temos o desafio de reerguer a cidade. A Mata Sul está praticamente acabada. Contamos com a Engenharia, Arquitetura, Agronomia e demais áreas de conhecimento para formar uma corrente de atuação, unindo forças para reconstruir tudo no menor tempo possível”, destacou Bosco.

Para ajudar nas obras e, principalmente, reconstrução das cidades será necessária, no mínimo, vistorias em todos os prédios que ficaram em pé. Além disso, é fundamental a análise dos solos, das redes de saneamento, das redes elétricas e da urbanização das cidades como um todo. Para os profissionais que serão enviados às cidades, o Conselho Federal irá fazer o repasse de R$ 100 mil. Essa verba será utilizada para pagar hospedagem, alimentação e custos operacionais dos profissionais enviados.

Para o presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, a presença da Engenharia, Arquitetura, Agronomia e demais profissões se faz fundamental para minimizar o sofrimento dos desabrigados e desalojados e, principalmente, para construir as cidades. “Vamos atuar de todas as formas. Serão vistorias, laudos, perícias e demais serviços que, pelo contingente que será enviado, irá agilizar o soerguimento dos municípios”. A data marcada para as primeiras atividades do grupo técnico será definida nesta segunda-feira (05), em reunião do Conselho com o Governo de Pernambuco.