Crea-PE investe na fiscalização das industrias sucroalcooleiras

O presidente do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), José Mário Cavalcanti esteve, juntamente com o superintendente, Osvaldo Fonsêca, no Crea-SP. A visita, de dois dias, foi feita a convite do presidente do Regional paulista, José Tadeu da Silva, que demonstrou em reunião com o superintendente de operações, Ademir Alves, a nova concepção de fiscalização do Crea-SP, principalmente no que diz respeito às indústrias.

Presidente de um Conselho que está sediado num dos Estados da Região Nordeste de maior destaque na cultura da cana de açúcar, onde as usinas começaram a ser instaladas em meados 1889, e onde ainda hoje há um parque industrial que, apesar de pequeno, se comparado a outras épocas, e ainda representa um nicho importante não só pela importância econômica, mas também, pela empregabilidade de diversos profissionais do Sistema, José Mário acredita que pela importância que a indústria sucroalcooleira tem para o Estado e pelo número de atividades que nela são desenvolvidas por profissionais das áreas tecnológicas, seja necessário investir mais, capacitando  o quadro técnico para facilitar e intensificar a relação com o setor.

O novo sistema adotado pelo Conselho de São Paulo quebra alguns paradigmas da fiscalização tradicional. Na opinião do presidente José Mário, “a inovação traz uma realidade onde a inversão de valores faz com que o Crea deixe de ser um órgão fiscalizador e punitivo para ser parceiro e prestador de serviços à comunidade e ao setor produtivo da sociedade”.

Em São Paulo, aonde a experiência já vem sendo aplicada, ao visitar uma indústria, os fiscais orientam a administração sobre a obrigatoriedade da aplicação da legislação profissional e, para tento, disponibilizam, on line, instruções sobre os procedimentos a serem adotados, assim como a documentação necessária para o registro dos profissionais das áreas tecnológicas, no Conselho. A equipe de fiscalização também orienta quanto à necessidade de cumprimento das exigências de regularização dos fornecedores, junto ao Crea. Assim, o setor produtivo passa a ser um aliado e apoiador do Sistema Confea/Crea/Mútua.

O primeiro passa para que o Crea-PE possa atuar de forma semelhante ao Conselho paulista já foi dado, quando, ao final da reunião, o presidente do Crea-SP, José Tadeu, acatou a proposta do presidente José Mário Cavalcanti, de disponibilizar seu pessoal técnico para participar de evento a ser programado no Crea-PE com a finalidade de repassar detalhes sobre o novo processo de fiscalização. Do evento, que será organizado pelo Conselho pernambucano, participará todo o corpo técnico, assim como, dirigentes de entidades interessados. Dilma Moura ASC do Crea-PE