Crea-PE

Desenvolvimento regional e projetos estruturadores são temas de encontro entre o presidente do Crea-PE e integrante do CTP

Adriano Lucena recebeu o engenheiro João Recena, na manhã desta quarta-feira (12) para trocar ideias sobre as estratégias e ações necessárias para a retomada dos investimentos em obras no Estado, a exemplo da ferrovia Transnordestina 

Projetos estruturadores que impulsionem o desenvolvimento de Pernambuco, como a ferrovia Transnordestina, o Arco Metropolitano e o perímetro irrigado no Vale do São Francisco, foram alguns dos temas debatidos entre do presidente do Crea-PE, Adriano Lucena, e o engenheiro civil João Recena, que integra o Comitê Tecnológico Permanente (CTP) do Conselho. O encontro aconteceu nesta quarta-feira (12), na sede provisória do Crea-PE. 

Adriano Lucena e João Recena também defenderam a importância do fortalecimento da Sudene, além da articulação com a instituição e o Banco do Nordeste, como estratégia para a retomada de projetos de desenvolvimento no Estado. As duas instituições são comandadas pelos pernambucanos Danilo Cabral (Sudene) e Paulo Câmara (BNB),respectivamente.

Para Adriano Lucena, investimentos em infraestrutura são importantes para gerar desenvolvimento. O presidente do Crea-PE defendeu a implantação de projetos de piscicultura na região de Ibimirim, que podem impulsionar a região do semiárido, como ocorreu há décadas com o polo de irrigação em Petrolina. Ibimirim é uma região extremamente rica para a pesca, que pode gerar desenvolvimento”, afirmou Lucerna.

O presidente do Crea-PE citou ainda a construção da Escola de Sargentos e a finalização da duplicação da BR-232 como projetos relevantes para o Estado, e a importância de debater tecnicamente a implantação do projeto da usina nuclear em Itacuruba, no Sertão. “Também é necessário resolver problemas com o transporte, água, saneamento e lixo, na Região Metropolitana”, completou Lucena.

Outra ação estratégica apontada por João Recena é conseguir o compromisso do Governo Federal, de realizar convênio com os estados que serão beneficiados com a ferrovia Transnordestina – Pernambuco, Ceará e Piauí – definindo cronograma e responsabilidades, para que a obra seja efetivamente retomada. O CTP participa do movimento Transnordestina Já, capitaneado pelo Conselho, que reúne várias entidades do setor produtivo na defesa da conclusão da ferrovia no trecho entre Salgueiro e Suape. 

“A Sudene precisa retomar o papel de planejamento regional. O Nordeste tem um PIB per capita menor que o do País. Precisamos discutir essa desigualdade de forma ampla”, ressaltou Recena.

Skip to content