Home > Arquivo > Entenda como funciona o Congresso Nacional de Profissionais

Entenda como funciona o Congresso Nacional de Profissionais

Brasília, 25 de fevereiro de 2013
 

Antecedendo a cerimônia de encerramento do Encontro de Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, o assessor especial para a 70ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea) e para o 8º Congresso Nacional de Profissionais (CNP), Edison Macedo, ministrou palestra sobre a metodologia do Congresso.
 
A apresentação ocorreu na manhã da última sexta-feira (22/2), no auditório da Universidade dos Correios, em Brasília, onde Macedo ressaltou a importância de se reunir profissionais de todo o país para discutir as demandas da área tecnológica nacional. “É difícil desenvolver alguma coisa em um país que não tem um projeto nacional. Devemos nos esforçar para alcançar metas futuras”, comentou.

O processo do CNP

O tema deste CNP – que tramitou na Comissão de Articulação Institucional do Sistema (CAIS) antes de ser aprovado em plenário – será “Marco legal, competência profissional para o desenvolvimento nacional”. Para que o Sistema junte propostas a respeito que contemplem os interesses de todas as regiões do Brasil, o processo do CNP inicia com os encontros municipais e microrregionais, em todo o país.

Posteriormente, cada Crea realiza seus congressos estaduais, previstos para acontecerem até julho. Depois disso, o Confea organiza o Congresso Nacional, que, normalmente tem duas etapas, intercaladas por oitivas nos estados. “Na realidade são três etapas. A primeira etapa do CNP ocorrerá em Gramado, em setembro, paralelamente à 70ª Soea. A segunda etapa são as oitivas – quando os delegados levam o conteúdo das discussões nacionais para seus estados para colherem as últimas contribuições. Depois temos a etapa conclusiva em Brasília”, explicou Macedo, ao acrescentar que o número total de participantes da etapa final seja de aproximadamente 600 delegados.

Macedo também estima que sejam enviados dos congressos estaduais cerca de 540 propostas para a etapa nacional. Em agosto, a equipe organizadora nacional sistematizará essas propostas, unificando as que tiverem o mesmo caráter e dividindo-as entre os eixos temáticos. A ideia é sair da última etapa com 50 propostas para o desenvolvimento da área tecnológica nacional feitas por profissionais da ponta.
 
Entre os resultados esperados está a sensibilização dos um milhão de profissionais do Sistema Confea/Crea e Mútua, mas o presidente do Confea, José Tadeu da Silva, enxerga a perspectiva real. “O sistema abre o debate para o milhão de profissionais, mas sabemos como funciona na prática. Precisamos criar mecanismos para motivar os profissionais a participarem”, defendeu. Em experiências anteriores, estima-se que, desde os encontros municipais, o processo do CNP mobilize cerca de 50 mil profissionais. Outras metas do CNP é integrar os líderes dos Creas e das entidades regionais, aperfeiçoar a visão de futuro, acompanhar criticamente os planos de governo e propor projetos de lei e minutas de resolução para o aperfeiçoamento profissional.

O Congresso Nacional de Profissionais acontece trienalmente desde 1993. Esta será a oitava edição do evento. Durante a apresentação, Macedo fez uma síntese sobre a temática de cada uma das edições do Congresso, além de mostrar a metodologia que estabelece quantos delegados haverá por estado.

Acesse a apresentação de Edison Macedo e obtenha mais informações sobre o CNP aqui.

Equipe de Comunicação do Confea

Check Also

Novo diretor financeiro da Mútua será eleito hoje

Cumprindo determinação do Confea, através da Resolução 1.117/19, bem como a Deliberação nº 147/2020-CEF, aprovada …