Presidente do Crea-PE visita inspetorias de Gravatá, Caruaru e Garanhuns

Com o objetivo de descentralizar as ações e de fortalecer as Inspetorias Regionais, o presidente do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), José Mário Cavalcanti, junto com o superintende Osvaldo Fonsêca, visitou, na segunda-feira (14) e na terça-feira (15) as inspetorias de Gravatá, Caruaru e Garanhuns. De acordo com o presidente José Mário Cavalcanti, a ação faz parte do projeto de gestão para interiorizar as atividades do Conselho. “Nós fazemos parte do maior conselho profissional do mundo com, aproximadamente, 900 mil profissionais, mas não somos consultados nas decisões políticas. Por isso, temos que nos organizar para ficarmos mais fortes e participarmos das discussões. Precisamos nos organizar para sermos incluídos nos debates”, defendeu o presidente, durante visita a Gravatá. Em outra incursão ao Interior do Estado, José Mário Cavalcanti visitou a inspetoria de Goiana, que tem à frente os inspetores German Hugo Céspedes, Roberto Ferraz e Antistenis Lima. O presidente José  Mário Cavalcanti ainda destacou que esses encontros têm o objetivo de trocar informações e apresentar os novos Inspetores, representantes formais do Conselho no Interior, à sociedade local. Em Gravatá, os inspetores eleitos foram: Eratóstenes Viana, Shirley Pereira e José Leonardo de Melo Júnior. Os representantes do Crea-PE, em Caruaru, são Antônio Dagoberto de Oliveira, Edson de Azevedo e Lanuta da Silva. Já em Garanhuns, os inspetores regionais eleitos foram: Antônio Aristóteles, Bruno Inocêncio e Rodrigo Xavier. O superintendente Osvaldo Fonsêca fez a apresentação do Sistema Confea/Crea/Mútua para os participantes dos encontros. De acordo com o palestrante, dentro das responsabilidades profissionais, encontram-se os cumprimentos das Normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e da Legislação Profissional, além da especial atenção aos clientes e à sociedade. Osvaldo Fonsêca ainda destacou que o Sistema é um dos mais democráticos do mundo, uma vez que, os presidentes são escolhidos pelos próprios profissionais, além de existir os conselheiros que, indicados pelas entidades de classe e de ensino, integram a instância máxima. “Se uma decisão for tomada pelo Pleno do Conselho, ela deverá ser acatada pelo presidente e seus diretores”, explicou Fonsêca. De acordo com a Lei Federal 5.194/66, os Conselhos são: autarquias federais especiais e têm o papel de regulamentar e fiscalizar o exercício profissional dos Engenheiros, Arquitetos, Agrônomos, Geólogos, Geógrafos, Meteorologista, técnicos e tecnólogos. A comitiva foi ainda formada pela Gerente Técnica, Giani Camara Valeriano, e pela chefe da Divisão de Suporte às Inspetorias, Liliana Ramos.