Começa o 2º Seminário Conselheiro Cidadão em Bonito

O Conselho de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE) deu início na manhã desta sexta-feira (28) ao 2º Seminário Conselheiro Cidadão, no município de Bonito, interior do Estado. A abertura do evento contou com a participação do 2º vice-presidente do Crea-PE, Arnaldo Cardim, do diretor administrativo Alexandre Krause, do diretor financeiro Anderson Rosal, do chefe de gabinete Osvaldo Fonseca, além do palestrante Marcos Wunderlich, presidente do Instituto Holos.
 
O 2º vice-presidente do Crea-PE, Arnaldo Cardim, deu início aos trabalhos representando o presidente José Mário Cavalcanti, que estará presente no segundo dia do seminário. Cardim deu as boas vindas a todos os participantes e comentou sobre a importância do encontro. “Estamos reunidos para uma transferência de informações que serão necessárias durante a condução dos trabalhos dos conselheiros. Meu desejo é que o evento seja um sucesso”, disse o engenheiro civil.
 
Os outros componentes da mesa de abertura também saudaram os presentes e reforçaram a necessidade de tirar o máximo de aproveitamento do encontro. “Espero que seja de bom proveito para os novos conselheiros que tomarão posse na plenária de amanhã, como também para a reciclagem dos antigos colegas que já fazem parte da casa”, ressaltou Osvaldo Fonseca, chefe de gabinete do Crea-PE.
 
Na manhã desta sexta, Marcos Wunderlich, do Insituto Holos, proferiu a palestra Gestão e Liderança de Alta Performance – Uma Abordagem Sistêmica e Comportamental. Na apresentação o palestrante enfocou uma abordagem reflexiva sobre pessoas, a relação e interação entre os seres humanos. “O Crea é formado por pessoas. Precisamos esvaziar a mente para aprendermos algo novo. Quando estagnamos não conseguimos absorver o novo”, disse Wunderlich.
 
Com uma exposição atrativa sobre a relação de gestão e liderança, Marcos Wunderlich iniciou falando sobre a interação entre as pessoas, a postura de aprendizado e a busca da felicidade. Para o palestrante, toda pessoa tem algo a ensinar ao outro. “Se encontrarmos um mendigo podemos aprender com ele a humildade e a perseverança. Ele pode ser o nosso professor de generosidade”, comentou. “Uma pessoa chata, por exemplo, serve para ensinarmos a ter paciência. Sempre achamos que o problema está nos outros, mas na verdade muitas vezes não é o outro e sim como me conduzo junto ao outro. Se aprendermos isso podemos criar menos problemas para nós”, explicou.
 
Segundo Wunderlich, existem dois tipos de felicidade: a efêmera, vinculada a um processo externo, e a do coração, independente do que acontece fora. “As pessoas estão sempre querendo justificar a felicidade depois que conseguir alguma coisa, mas ela está em nós se procurarmos desfrutar cada momento, o aqui e agora”, completou. As abordagens dada por Marcos se aplica ao cotidiano de uma instituição como o Crea. “Com a mente aberta os conselheiros podem trabalhar sem preconceitos, mais pacientes e compreensivos”, disse.
 
Em um segundo momento, Wunderlich trabalhou o processo de liderança e gestão em organizações trabalhando o relacionamento focado do Crea-PE. Segundo o especialista, a comunicação real, com explicitação e negociação; o aqui e agora, com a valorização da vida, aprendizagem, lealdade, automotivação e mentalidade participativa; e a postura condutora, com opções pessoais, centramento e cooperatividade; podem fazer a diferença dentro da instituição.
 
Vanessa Bahé
ASC Crea-PE