Crea-PE cobra à PCR cumprimento de acordo salarial

Recife, 15 de julho de 2009 – O prefeito do Recife, João da Costa, descumpriu o acordo selado, em 2007, referente ao pagamento do salário mínimo profissional aos servidores municipais da Engenharia, Arquitetura, Agronomia, Química e Veterinária como determina a Lei Federal 4.950-A. Devido a essa postura, o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), em reunião plenária realizada na última quarta-feira (08), aprovou a Moção de Repúdio em relação à posição do prefeito João da Costa.

“O não cumprimento de um acordo compromete a credibilidade daquela instituição. Esperamos que este posicionamento seja revisto pela Prefeitura do Recife. Ainda há tempo de estabelecer os entendimentos necessários ao fechamento do acordo pactuado”, defendeu o presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti.

Os servidores travam essa luta desde 2001. Ao longo desses oito anos, a reivindicação transformou-se numa bandeira defendida por todas as entidades de classe das categorias profissionais envolvidas. Os profissionais vinculados ao Crea-PE repudiam o reajuste proposto de, apenas 4%, apresentado por João da Costa e aprovado na Câmara Municipal dos Vereadores.

A conduta provocou a indignação e o descontentamento de todos os envolvidos no processo já que houve quebra de acordo, que garantia o pagamento de cinco salários mínimos, em 2007, e de seis salários mínimos, em 2008, atendendo assim o que determina a lei federal.

É sabido que os secretários presentes na reunião, naquele ano, com o então prefeito João Paulo, incluindo João da Costa, comprometeram-se com o acordo. Entretanto, hoje, os mesmos secretários só que em outros cargos são favoráveis à decisão do prefeito.

 

Dilma Moura
ASC do Crea-PE