Crea-PE e Assengea promovem tarde de palestras técnicas em Araripina

Araripina, 06 de junho de 2013 

No evento promovido pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), com o apoio da Associação dos Engenheiros e Técnicos do Araripe (Assengea) ocorrido na tarde da quinta-feira, 06, no Araripina Palace Hotel, em Araripina, a mesa de abertura contou com a participação do presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), José Mário Cavalcanti, do inspetor Evandro Alencar, do diretor financeiro do Crea-PE Sílvio Porfírio, da secretária de Meio Ambiente do município de Araripina, Maria Cristina Ribeiro Alencar Arraes e do secretário de Infraestrutura do município de Ipubi, Josias Gomes de Oliveira.

Primeiro a usar a palavra, o inspetor Evandro Alencar, falou da importância da realização do quarto Encontro Microrregional do 8 CEP e da sugestão, acatada pela Comissão Organizadora, da realização de mais dois eventos. O primeiro, voltado à fiscalização, ocorrido na parte da manhã na Fofopa e um institucional, com a apresentação de palestras, antecedendo o evento do CEP, que teve início as 18h30.

A secretária de Meio Ambiente, Maria Cristina, que participou do evento representando o prefeito de Araripina, Alexandre Arraes, elogiou a iniciativa, lembrando a constante presença do Crea-PE no município e, antecipadamente, agradeceu ao presidente José Mário, a oportunidade de participar da palestra do superintendente Roberto Arrais, sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Já o secretário de infraestrutura de Ipubi, Josias Gomes, que também participou do evento representando o prefeito do município, Marcos Siqueira, agradeceu o convite e falou da satisfação de participar da iniciativa, ressaltando a importância dos convênios para os municípios, os quais agregarão mais qualidade e segurança aos projetos e obras de qualquer modalidade da Engenharia.

Último a falar, o presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, agradeceu a presença das autoridades que compuseram a mesa e das demais lideranças profissionais participantes do evento, enaltecendo a iniciativa da Inspetoria de Araripina, sob a liderança de Evandro Alencar em propor a extensão do encontro.

“Não nos surpreendemos com os resultados hoje obtidos aqui. Nos últimos quatro anos, a maior parte dos eventos realizados em Araripina tem ocorrido por proposição e solicitação do inspetor. Com este quarto encontro, diferenciado dos demais pelos eventos propostos e iniciativas, certamente haverá maior contribuição para um melhor desempenho dos profissionais, dos órgãos dos setores públicos e privados e para a sociedade, que sairá ganhando com qualidade das obras, dos serviços e do próprio bem estar de todos”, concluiu.

Em seguida, teve início a primeira palestra sobre o tema: Assistência Técnica Gratuita, feita pelo chefe de Gabinete do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), Osvaldo Fonsêca. Para abordar o tema, Osvaldo fez a apresentação de trechos da Cartilha que instrui à sociedade para ter acesso ao benefício. De acordo com o palestrante, apesar de constar do documento que o acesso poderá se dar por meio de associações, ele tomou conhecimento de que apenas projetos enviados pelas prefeituras municipais estão sendo aceitos pelo Ministério das Cidades, o que talvez possa ser explicado pela dificuldade burocrática do ministério.

A segunda palestra da tarde, sobre Política Nacional de Resíduos Sólidos, instituída pela Lei nº 12.305, de 02 de agosto de 2010, foi feita pelo superintendente do Crea-PE, Roberto Arrais. Sobre a lei, o palestrante disse que foi discutida durante 19 anos no Congresso Nacional, por conta de interesses que envolviam a questão.

“Cada um de nós gera, em média, um quilo de resíduos sólidos por dia”. Disse Arrais, chamando a atenção para urgência de se aplicar os dispositivos legais que foram criados para regulamentar o tratamento que deverá ser dado aos resíduos. Ele lembrou que antes, as questões relacionadas aos resíduos sólidos eram tratadas como assuntos de limpeza urbana e que apesar de hoje integrarem a política nacional de meio ambiente, ainda não é respeitada. “Mesmo instituído desde 1999 a questão do meio ambiente nunca foi interesse dos municípios dos governos estaduais e do Governo Federal. Para terem uma idéia, a política de meio ambiente ainda não tem orçamento determinado”, lamentou Roberto Arrais.

O superintendente destacou os princípios que, de acordo com a lei federal, norteiam a política nacional de resíduos sólidos como sendo: Prevenção e precaução; redução; reutilização; reciclagem; visão sistêmica; logística reversa; desenvolvimento sustentável; cooperação e resgate social do catador.

Sobre a quarta Conferencia Nacional de Meio Ambiente que será realizada no País ele destacou os quatro eixos a serem debatidos: Produção e consumo sustentáveis; Impactos ambientais; Geração de emprego trabalho e renda e Educação Ambiental. Para concluir sua participação o superintendente leu trechos da Carta do Cacique Seattle, escrita em 1854.

Plano Diretor

Já que o evento teve como público alvo prefeitos e secretários dos municípios vizinhos, além do município de Araripina, o tema Plano Diretor foi abordado na última palestra da tarde feita pelo chefe de gabinete do Crea-PE, Osvaldo Fonsêca, como forma de estimular e conscientizar os gestores dos municípios que ainda não possuem o documento a se mobilizarem nesse sentido, já que é por meio da criação desde dispositivo que os municípios têm garantidos, por exemplo, o crescimento urbano de forma adequada.


Dilma Moura

ASC do Crea-PE