Crea-PE e Consulado Alemão traçam convênio de cooperação técnica

Recife, 17 de setembro de 2012 – Diminuir a distância e ampliar a troca de conhecimento, através de acordo de cooperação técnica, entre profissionais do Sistema Confea/Crea e os engenheiros alemães. Esse foi o assunto pautado hoje na reunião entre o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), José Mário Cavalcanti, e o cônsul geral da República Federal da Alemanha para o Nordeste, Thomas Wülfing, e o responsável pela parte de Cultura, Imprensa e Economia do Consulado Alemão, Martin Mahn.

Como Pernambuco atravessa um momento de grande demanda por mão de obra qualificada para atender aos investimentos estruturadores, José Mário disse que considera como interessante a possibilidade de ser construída uma parceria de cooperação técnica entre as instituições, no intuito de fomentar o intercâmbio entre profissionais brasileiros para a Alemanha e vice-versa.

“O Crea-PE é protagonista no Projeto Pensar as Américas, que visa o desenvolvimento, integração e a solidariedade, através das grandes obras existentes em comum entre os países. Podemos pensar em um projeto tríplice, incluindo a Alemanha”, sugeriu o presidente, destacando está sendo trabalhada a ideia de, em janeiro, um pré-evento Pensar as Américas, no Brasil, sendo esta uma boa oportunidade para trazer palestrantes alemães para o evento.

O cônsul, por sua vez, informou que, devido à crise européia e ao crescimento econômico brasileiro e, principalmente, de Pernambuco, os investidores estão olhando para o Estado, focados não só na construção e indústrias, mas em educação. “Vamos nos esforçar para potencializar essa integração e o intercâmbio. Essa visita demonstra o nosso interesse de manter uma boa relação com o Crea e de divulgar o Dia da Engenharia Alemã, em novembro”, explicou Wülfing.

A contratação de profissional estrangeiro também foi levantada pelo cônsul, que falou sobre as barreiras criadas pelo País, como medida protecionista. O presidente afirmou que defende a entrada de estrangeiro, até porque o País está carente de mão de obra. Entretanto, ele ressaltou que é necessário que o mesmo comportamento seja adotado nos países europeus aos profissionais brasileiros.

O conselheiro e professor da Universidade de Pernambuco, Arnaldo Cardim, relatou sua experiência quando foi à Espanha fazer o doutorado. “Voltamos com novos conhecimentos, além de abrirmos caminhos para cooperação técnica entre as instituições”, defendeu Cardim.

Na reunião, estiveram presentes os diretores Administrativos, Marçal Sayão Maia e Tadeu Pontes, o superintendente Roberto Arrais, e as assessoras da Presidência Ondine Bezerra e Giani Camara.

Kele Gualberto
ASC do Crea-PE