Crea-PE

Crea-PE prestigia 1° Encontro de Integração e fortalecimento da Indústria Energética do estado

Realizado no auditório do Hotel Luzeiros, no Pina, o encontro reuniu empresários e profissionais do setor energético para trocar experiências e contribuições sobre a área

O 1° vice-presidente do Crea-PE, Clovis Segundo, participou nesta quinta-feira (30) do 1° Encontro de Integração e fortalecimento da Indústria Energética do estado de Pernambuco, promovido pelo Sindienergia-PE.

Realizado no auditório do Hotel Luzeiros, no Pina, o encontro reuniu empresários e profissionais do setor energético para trocar experiências e contribuições sobre a área.

Para o presidente do Sindienergia-PE, Bruno Camara, o objetivo da iniciativa foi reunir toda a cadeia produtiva de energia para proporcionar uma articulação maior entre os empresários. “Pernambuco não tem um sindicato que represente as indústrias de Energia do estado, que já são mais de 300, e estão sem representatividade dentro da Federação das Indústrias. Então este encontro objetiva unir as empresas do setor energético, pra que a gente possa se organizar, ter uma diretoria e em breve ingressar na Fiepe com a devida organização, com a devida representação política, com ligação com o Governo, com o Crea, com todas as instituições que devem se juntar pra que a gente possa desenvolver o setor energético do Estado de Pernambuco com uma agenda suprapartidária, supra-governo, em prol da sociedade pernambucana”, explicou.

Clóvis Segundo, vice-presidente do Crea-PE, enfatizou a importância da participação do Crea-PE nesse contexto, reforçando o compromisso da instituição em contribuir para o desenvolvimento sustentável e eficiente das engenharias, agronomia e geociências no estado.

Para o presidente da Apesolar, Rudinei Miranda, este encontro é um momento importante para o setor. “Momento de união e fortalecimento para que todo o setor de energia de Pernambuco – seja ela eólica, solar, térmica, nuclear etc – possa crescer unificado e desenvolver política pública para tornar uma economia mais sadia. Estamos bem satisfeitos de poder contribuir com nosso segmento, já que a gente representa solar, para esse todo que a gente entende como fundamental e ainda aprendendo com a experiência de outros estados, como o Ceará”, defendeu.

Skip to content