Estádios de futebol precisam de novas tecnologias

Manaus, 04 de dezembro de 2009 – As mudanças de comportamento dos torcedores brasileiros e da utilização dos estádios de futebol trouxeram alguns problemas estruturais nos campos, sendo necessário o investimento em tecnologias para atender às novas exigências. De acordo com o engenheiro civil e responsável pelo estádio de futebol de Brasília para a Copa de 2014, Arthur Pitta Júnior, os espaços esportivos foram projetados somente para jogos.

Entretanto, a partir da década de 90, esses espaços passaram a ser usados para shows e eventos, ou seja, tornaram-se multiuso. Sobre o comportamento, ele explicou que, no passado, as pessoas assistiam aos jogos sentados e não pulando como se vê hoje, por isso os tremores nas arquibancadas e, em alguns casos, até o desabamento, a exemplo do estádio Fonte Nova em Salvador.

“Os materiais utilizados são os mesmos, porém temos novas ferramentas tanto de hardware como de software para reforçar as estruturas para assegurar mais conforto e segurança aos torcedores. Estamos trabalhando para construir estádios dentro dos padrões internacionais”, explicou Pitta Júnior, em palestra no Fórum Jovem da 6ª Soeaa, que teve como tema “Inovação Tecnológica para a Copa de 2014”.

Esse pensamento é compartilhado também pelo o arquiteto Eduardo de Castro Mello, responsável pelo projeto arquitetônico do estádio a ser construído em Brasília. Segundo Castro Mello, o projeto para Brasília já está pronto e com os cálculos para a múltipla utilização do espaço.

Kele Gualberto

Assessora de Comunicação do Crea-PE