I Semana Nacional de Fiscalização na Mineração começa dia 22 em Araripina

Recife, 19 outubro de 2009 – Começa hoje (19) e segue até sexta-feira (23), em todo País, a I Semana Nacional de Fiscalização na Mineração realizada pelo Sistema Confea/Crea, junto com o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), ligado ao Ministério de Minas e Energia. Nos estados e no Distrito Federal, os Creas Regionais assinarão um contrato de cooperação técnica com o DNPM.

De acordo com o coordenador da Câmara de Geologia e Minas, Jurandir Landim, o evento tem o objetivo de trocar informações e estimular a fiscalização nas áreas de Geologia e Minas. “A medida vai trazer uma maior interação entre os órgãos fiscalizadores do segmento de mineração. Essa é uma oportunidade de melhorar os serviços já realizados pelo Crea-PE e o DNPM”, concluiu Landim.

Em Pernambuco, as ações serão realizadas no município de Araripina, região com maior produção em Gipsita (matéria-prima do gesso), nos dias 22 e 23 desse mês, na sede do Sebrae. No evento, o chefe da divisão de Fiscalização do Conselho pernambucano (Crea-PE), Emerson Dizeu, ministrará palestra sobre o funcionamento das inspetorias regionais e suas atribuições junto à área de mineração.

As palestras também abordarão assuntos como: Ética Profissional, Valorização dos Monumentos Geológicos e do Patrimônio Paleontológico, Ordenamento da extração artesanal de pequeno porte e a Mineração de Responsabilidade Sócio-ambiental, destacando a qualidade no aproveitamento da jazida, a segurança técnico-operacional e o controle ambiental nas minas. Ainda na programação, estão previstas Fiscalizações Dirigidas às empresas de mineração nos municípios de Araripina, Ipubi e Trindade.

Minérios – O pólo do Araripe, que compreende os municípios de Ipubi, Trindade, Ouricuri e Araripina, é responsável por 80% da produção nacional do gesso, de acordo com dados do DNPM de Pernambuco.

Segundo o presidente o presidente da Associação dos Geólogos de Pernambuco (AGP) e diretor adjunto da DNPM, Antônio Christino Lyra, a produção poderia ser muito maior, caso o Estado fizesse investimento na parte de infraestrutura.

“A maior parte da produção de gesso é vendida para a Região Sudeste. Com a implantação da ferrovia Transnordestina, a expectativa é que a produção alcance uma participação no mercado internacional”, ressaltou. Além do gesso, Pernambuco destaca-se também na explotação de água mineral, calcário, argila, areia, brita e mármore.

Quanto à geração de postos de trabalho, o presidente da AGP informou que o setor de Geologia e Minas emprega um grande número, entretanto ainda há a predominância da informalidade. Ele relacionou o crescimento da explotação ao número do incremento na produção civil pernambucana, uma vez que, a maioria dos minerais está ligada a essa cadeia.

Kele Gualberto

ASC do Crea-PE