Integração internacional e Pensar as Américas foram assuntos de reunião com bolivianos

Um encontro entre o presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, e profissionais bolivianos e rondonienses, na última segunda-feira (21), no 6º Encontro de Lideranças em Brasília, resultou em uma produtiva discussão sobre a inserção internacional dos profissionais do Sistema Confea/Crea e o movimento Pensar as Américas, incentivado pelo Confea e pela União Panamericana de Associações de Engenheiros (Upadi).  Outra iniciativa destacada no encontro foi a proposta de criação, do Sindicato dos Engenheiros de Rondônia (Senge-RO), de um território binacional, entre as cidades fronteiriças e ao longo das linhas divisórias internacionais que separam essas cidades.

 
Esse foi um fato exaltado no discurso do presidente do Confea, Marcos Túlio de Melo, durante a abertura do 6º Encontro de Lideranças, como uma grande ação no contexto do processo de inserção internacional do Sistema Confea/Crea. Marcos Túlio parabenizou a ação da entidade profissional em conjunto com o Crea-RO.
 
Para o Presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, entusiasta e defensor da inserção internacional do Sistema Confea/Crea, a iniciativa é muito louvável, pois tornará legal o que já se realiza na prática. “Os espaços urbanos das cidades de fronteiras se integram naturalmente, independente da divisão política. Toda a movimentação econômica, financeira, social, cultural e política, acontecem dentro dos interesses maiores dos habitantes das cidades das nações vizinhas, como se fosse um terreno único de características binacionais. Neste sentido, fica patente a integração direta, devendo apenas acontecer a formalização legal em acordos bilaterais futuros a serem propostos entre os países vizinhos e amigos, para a criação de áreas comuns consorciadas binacionalmente, como um grande passo na direção da integração continental. Isto será um grande desafio para o Movimento Pensar as Américas", ressaltou José Mário.
 
Participaram da reunião a delegação de profissionais da Bolívia, engenheiros do Senge-RO, e o diretor da Mútua de Rondônia, engenheiro Geraldo Sena, além do presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, e o presidente do Confea, Marcos Túlio de Melo.
 
CONSÓRCIO – Lançada em 2009 por Marcos Túlio de Melo, presidente do Confea, a ideia de integrar tecnologicamente cidades que fazem fronteira com outros países foi encampada por um grupo de engenheiros, empresários, prefeitos e vereadores de dois municípios brasileiros – Guajará Mirim e Nova Mamoré, em Rondônia – e dois bolivianos – Guayará Merim e Riberalta. A parceria resultou na criação do Cbids – Consórcio Binacional de Integração de Desenvolvimento Sustentável – que avaliará os impactos sociais, econômicos e ambientais dos projetos destinados para a região. Entre eles, a construção de uma ponte – orçada em R$ 300 milhões e incluída no orçamento da União para este ano – ligando Brasil e Bolívia; a hidrelétrica binacional de Ribeirão – com projeção para gerar 3 mil megawatts de energia – e  uma hidrelétrica do lado boliviano com capacidade para gerar 780 megawatts. Formado pelo Confea, Crea e Senge-RO, prefeituras e câmara dos vereadores, além das associações comerciais dos quatro municípios,  o Consório que une Brasil e Bolívia será anunciado no início da segunda quinzena de abril, conforme decisão tomada em reunião por Marcos Túlio de Melo, Geraldo Sena, do Crea-RO, Cícero Noronha, secretário geral do Consórcio, Márcio Badra, presidente da Associação Comercial de Guajará Mirim e Jorge Luiz Alves, presidente do Senge-RO, além dos vereadores bolivianos Angel Grafias Mendes, Juan Mario Rivera e Juan Carlos Antezana.
 
Vanessa Bahé
ASC Crea-PE
* com informações do Confea