José Mário Cavalcanti compartilha experiência com os estados do Sudeste

O presidente do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), José Mário Cavalcanti, reúne-se, amanhã (18), no Rio de Janeiro, com os presidentes do Crea, cujos estados foram atingidos pelas chuvas e com o presidente do Confea, Marco Túlio de Melo, para compartilhar as experiências adquiridas pelo Grupo Técnico (GT) Palmares com o intuito de ajudá-los na reconstrução das cidades da Região Sudeste devastadas pelas enchentes. O presidente ainda aproveita a ocasião para sugerir a criação da Rede Nacional de Segurança e Tecnologia para o Enfrentamento de Desastres (RNSTD).  

 “Ofereceremos aos Creas a nossa experiência na área de assistência técnica adquirida com os profissionais registrados e recrutados que prestaram suas contribuições, em Palmares, os quais trabalharam com eficácia naquela área, que foi também devastada em junho do ano passado”, disse o presidente José Mário Cavalcanti. O presidente reuniu um grupo técnico com cerca de 50 profissionais voluntários para trabalharam em prol da reconstrução daquele município.

Com recurso Confea, na ordem de R$ 50 mil, o grupo técnico foi a campo, onde realizou coleta de dados, elaborou estudos, projetos e criou metodologia inovadora com base na tecnologia da informação. A implantação de software nos celulares garantiu rapidez e precisão na coleta e tratamento das informações e a geração de banco de dados de cerca de 27.500 imóveis públicos e privados danificados pelas chuvas de junho de 2010, em toda a Mata Sul do Estado.

Já a Rede Nacional de Segurança e Tecnologia para Enfrentamento de Desastres, funcionará por meio da estrutura existente do Sistema Confea/Crea/Mútua e Entidades, tem o objetivo de oferecer ao Conselho Nacional de Defesa Civil e às Administrações do Poder Público, as condições técnicas e objetivas para um preciso e eficiente modelo de prevenção, planejamento, gestão, execução de ações de defesa, resgate, mitigação e construção das áreas atingidas. A proposta visa reduzir, significativamente, as perdas humanas e materiais das populações por desastres.