José Mário relata no plenário participação em Convenção Pan-Americana

Na 5ª reunião plenária de 2012, do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE) realizada na quarta-feira (09), o presidente José Mário Cavalcanti, aproveitou para prestar contas de sua participação Conselho, José Mário Cavalcanti, no XXXIII Convenção Pan-Americana das Engenharias – UPADI 2012, realizada de 09 a 13 de abril, na cidade de Havana, em Cuba.

O presidente explicou ao colegiado que fez parte da missão internacional, como representante do Colégio de Presidentes do Sistema Confea/Crea e Mútua em conjunto com os demais delegados participantes: o presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), José Tadeu da Silva; a conselheira federal, engenheira eletricista Darlene Leitão, que na missão representou, juntamente com o conselheiro federal, técnico mecânico Luís Eduardo de Castro Quitério, o Plenário do Confea e, por fim, o engenheiro eletricista Aramis Arauz Guerra, que participou como representante do Colégio de Entidades Nacionais (Cden).

José Mário relatou que o evento constituiu-se de diversos seminários paralelos e destacou a sua participação nas discussões sobre os seguintes temas: Pensar as Américas; Fórum Anticorrupção; Simpósio de Ensino de Engenharia; Fórum da Mulher na Engenharia. Ele esclareceu que, como os vários eventos ocorreram simultaneamente, elegeu como prioridade a participação naqueles temas com os quais estava diretamente ligado.

Na abertura do Fórum Sobre o Pensar as Américas, onde teve assento na mesa diretora como representante brasileiro, falou sobre a experiência do Pensar Brasil e as Américas destacando o protagonismo pernambucano no processo de inserção internacional e, em especial, no objetivo do de consolidar a integração das Américas através da efetiva participação dos engenheiros do Continente Pan-Americano, citando a realização do I seminário deste movimento acontecido no Recife em março de 2010.

Além da experiência brasileira, outros projetos em desenvolvimento foram apresentados: El Salvador – ASIA; Honduras – CFCIH; Costa Rica – CFIA e Cuba – UNAICC. Nas discussões temas comuns aos países integrantes do projeto, a exemplo da mobilidade profissional, temas de suma importância para os países, pois demandam discussões de acordos bilaterais e de reciprocidade.

O combate à corrupção no mundo foi abordado por Emilio Colón, presidente do Conselho Mundial de Engenheiros Civis (WCCE), no Fórum Anticorrupção. Sobre a questão, Colón reafirmou o compromisso de continuar na luta contra a corrupção buscando para tanto o apoio e engajamento de outros países. “O Conselho Mundial de Engenheiros Civis tomou como um de seus temas a luta contra a corrupção porque nós promovemos a Engenharia Civil, com profissionalismo e ética dos nossos profissionais. É preciso ver o tema da corrupção dentro do contexto de valores da ética, do Estado de Direito e do profissionalismo. Por isso, é muito importante que se projete ações éticas e que sejamos guardiões contra a corrupção. Assim, o que estamos fazendo, como organização, é promover a entrada de nossos países-membros na luta contra a corrupção”, defendeu.


Avaliando o assunto como sendo de interesse não apenas de um setor, mas um compromisso de cidadãos, Emilio Colón defendeu ainda a participação de outros segmentos da sociedade, assim como de outras modalidades profissionais na luta contra a corrupção. “Estamos buscando, em especial, a luta contra a corrupção no setor da indústria da construção. É preciso ver esse tema de forma interdisciplinar, por exemplo, em nosso esforço de atingir não só os engenheiros, mas também os arquitetos, de incluir todos os níveis de governo, seja o federal, o estadual ou o local. Temos também uma campanha contra a corrupção em relação às subcontratadas, aos fornecedores e também incluímos os setores financeiro e bancário, que dão dinheiro para obras, além de outros profissionais, como advogados, contadores, que têm a ver com a luta contra a corrupção e, por último, até mesmo a imprensa”.
Sistema Confea/Crea

No Brasil o Sistema Confea/Crea se engajou na luta contra a corrupção, entre outras ações, lançando o Movimento Anticorrupção na Engenharia, na Arquitetura e a na Agronomia, em 2010, com o objetivo de defender a ética profissional e a transparência nos processos públicos que envolvem obras e serviços de Engenharia.

Eleição
Ainda no evento, o presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia, José Tadeu da Silva, foi eleito presidente da União Pan-Americana de Engenheiros (Upadi) para o mandato de 2015 a 2017.  Já Luís Eveline, de Honduras, foi eleito para a gestão de 2013-2015.

A partir de 2013 a sede permanente da Upadi será no Brasil. A proposta, apoiada pelo Confea por meio da Decisão Plenária nº 997/2011, foi aprovada na Assembleia da Upadi de 2011, ocorrida em dezembro.

Dilma Moura
ASC do Crea-PE