Má qualidade de material usado nos prédios tipo caixão põe construções em risco

Recife, 07 de junho de 2013

As pessoas que moram em prédios do tipo caixão perderam o sossego há anos. A preocupação aumentou  depois que a Defesa Civil do Recife determinou a desocupação total do Conjunto Residencial Eldorado, no bairro de Água Fria, Zona Norte do Recife. A má qualidade do material usado nas construções e a falta de conservação colocam as edificações em situação de risco, segundo especialistas. Veja aqui a reportagem na TV Jornal sobre o assunto.

De acordo com o Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep), na Região Metropolitana da cidade, há mais de cinco mil edifícios tipo caixão e alguns apresentam problemas graves. O estudo mostra que 4.700 desses imóveis estão em situação de risco leve a grave. Já outros 340 têm problemas muito graves. O presidente do Conselho Regional de Engenharia (Crea) acredita que blocos de alvenaria e fundações de baixa qualidade são as principais causas.

Com tantos problemas estruturais, os prédios do tipo caixão construídos nas duas últimas décadas têm uma vida útil de 17 a 20 anos, segundo o Crea. A cada dia, aumentam os chamados na Defesa Civil para vistorias dessas construções na cidade. Quem mora em prédios desse tipo pode solicitar uma vistoria à Coordenadoria de Defesa Civil do Recife (Codecir) pelo telefone 0800.081.3400.

Fonte: TV Jornal