Home > Arquivo > Presidente José Mário conclui agenda na Venezuela

Presidente José Mário conclui agenda na Venezuela

 

Recife, 29 de outubro de 2013

 

Concluindo sua agenda na visita à Venezuela, o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE) José Mário Cavalcanti, participou da abertura da, “VI Jornada Pensar a Venezuela – Engenheiro Humberto Blanco”, sob a coordenação do presidente do Colégio de Inginieros da Venezuela (CIV), Enzo Betancourt. Também participaram o Alcade Metropolitano de Caracas, Antonio Ledesman, o integrante da Coordenação do Pensar a Venezuela, engenheiro Jesus Salazar Boada, que falou em nome dos organizadores do evento, representantes da Junta Diretiva, demais membros, associados e lideranças profissionais ligadas ao Colégio Venezuelano.

Destacaram-se a presença do deputado da Assembleia Nacional da Venezuela, Richard Blanco, irmão do homenageado Engenheiro Humberto Blanco, além dos demais membros de sua família, esposa e filhos, que receberam a homenagem, uma placa de reconhecimento da agremiação, alusiva aos relevantes serviços prestados pelo ex-diretor do CIV, reconhecidamente, um atuante e muito destacado membro da Junta Diretiva do CIV que,  por muito tempo, coordenou o Movimento Pensar a Venezuela, no entanto, atualmente está afastado, em virtude de problemas de saúde decorrentes de um acidente Vascular Cebral (AVC).

Durante a sessão inaugural, fizeram o uso da palavra, o  Alcade Metropolitano de Caracas, enfatizando a participação e importância dos engenheiros na gestão da Cidade e também da destacada atuação do CIV, sob a liderança do engenheiro Enzo Betancourt. Sobre o Pensar a Venezuela, elogiou a iniciativa do Colégio, enumerando várias contribuições encaminhadas pelos engenheiros ao poder público, dirigidas ao desenvolvimento econômico e social da Nação. Destacou a ligação entre este movimento nacional com o Pensar as Américas, considerando um passo a frente para o desenvolvimento e a integração continental. “Pensar, formular e planejar, para se ter uma cidade mais humanizada, um País mais justo e soberano e um mundo cada vez melhor”, concluiu.

O presidente Betancourt discorreu sobre a concepção do Pensar a Venezuela, baseado nos moldes estabelecidos pelos Projetos Pensar o Brasil e Pensar o Chile, adequando-o as questões locais, regionais e nacionais do seu País, já tendo realizado seis jornadas de debates e discussões técnicas sobre desenvolvimento local e regional, bem como a formulação das soluções integradoras entre os espaços socioeconômicos da nação, enaltecendo na ocasião o Movimento Pensar as Américas, ratificando a sua importância e o destaque do mesmo ter se originado em território venezuelano, em 19 de setembro de 2009.

Betancourt afirmou que, pela primeira vez, o encontro estava sendo transmitido ao vivo pela rede mundial de computadores, podendo ser acompanhado por toda a Venezuela, Brasil, Chile e outros países. Destacou a presença do Brasil através do Crea-PE, agradecendo a presença do presidente José Mário, fazendo referência ao importante papel do Regional de Pernambuco, na internacionalização dos Grêmios de Engenheiros, especialmente no Movimento Pensar as Américas. “O Brasil, através da participação do Crea-PE, vem se destacando muito na internacionalização dos profissionais por meio das ideias de integração continental, que neste aspecto, tem sido amigo e parceiro do CIV, e que compartilhamos e comungamos com muitas ideias e ações no âmbito da união e do fortalecimento de todas as entidades de engenheiros das Américas, objetivando uma ampla, consistente e segura integração dos profissionais, de suas entidades e das suas Nações”, concluiu.

Na sequência, o presidente do Crea-PE foi convidado a fazer a sua apresentação sob o título: “A integração Continental Através das Engenharias, Arquitetura e Agronomia”.Começando com um relato histórico sobre as guerras de libertação e os sonhos dos movimentos de integração continental durante os séculos XVIII e XIX, o palestrante destacou a figura do General Simon Bolívar, herói venezuelano e também das Américas, que teve em seu auxílio, nos memoráveis movimentos de libertação, a figura de um brasileiro, pernambucano do Recife, o General José Inácio de Abreu e Lima, conhecido como um dos mais célebres oficiais e amigo do Comandante e Libertador das Américas.

Durante a apresentação, José Mário enfatizou que os sonhos de integração continental ainda continuam a dominar os desejos da maioria dos homens livres de nosso Continente e que, diante de tantas organizações e instituições governamentais e não governamentais que tratam deste tema, poderiam contar também com o pensamento e a participação dos segmentos de engenheiros e outros profissionais afins, contribuindo com ideias e soluções para a viabilidade da integração física, que é o primeiro passo de discussão para uma integração total.

Disse ainda, que “para ampliar e fortalecer mais o nosso movimento, deveríamos convidar para os nossos fóruns, os representantes das organizações que deliberam sobre este tema, objetivando consolidar as nossas ideias e propostas, para uma posterior apresentação através de nossas entidades, aos líderes de governos de nossos países, a fim de que nossa participação e presença sejam aceitas e reconhecidas como legítimas nestes processos que, são necessários e inexoráveis no decorrer da nossa história, ratificando o papel dos engenheiros venezuelanos, sob a liderança do Presidente Enzo Betancourt, pela iniciativa e dedicação à causa”, afirmou complementando, “Este é o verdadeiro caminho a ser seguido por todas as organizações de engenheiros, porque são desses exemplos que teremos a dignidade, o reconhecimento e o respeito da sociedade, pelos resultados destas contribuições, que ajudarão na estruturação e no avanço dos povos organizados, e que certamente refletirão no aumento da qualidade de vida de todos os cidadãos de cada País”, concluiu José Mário, elogiando o presidente do CIV , pelo sucesso da iniciativa, agradecendo também pela atenção e excelente acolhida a ele proporcionada na sua estada na Venezuela.

CIV

O Colégio de Ingenieros da Venezuela (CIV), tem uma tradição gloriosa que remonta aos anos de independência da Venezuela e seu maior representante é o Grande Marechal de Ayacucho, Antonio José de Sucre, do Corpo de Engenheiros Militares do Exército Nacional da Venezuela, que abraçou a causa republicana. É uma instituição de caráter público, com personalidade jurídica. Foi fundado em 24 de Outubro de 1860, por meio do Decreto do presidente da República, Manuel Felipe Tovar, com todos os direitos, deveres, poderes e funções que lhe são atribuídas, mas definitivamente instalado em 28 de Outubro de 1861. Tem hoje mais de 150 anos de existência, com patrimônio próprio, sendo o seu primeiro presidente, o engenheiro Juan Manuel Cajigal. Sua Sede atual funciona na Avenida Principal de Quebrada Honda, Parque de Los Caobos, Caracas, Distrito Capital, Zona Postal 1050.

 

 

ASC do Crea-PE

Check Also

Novo diretor financeiro da Mútua será eleito hoje

Cumprindo determinação do Confea, através da Resolução 1.117/19, bem como a Deliberação nº 147/2020-CEF, aprovada …