Presidentes do Crea-PE e Crea-PR discutem acordos com órgãos de cooperação técnica

Brasília, 20 de fevereiro de 2013


Em reuniões realizadas nesta quarta-feira (20) em Brasília, os presidentes do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, e do Crea-PR, Joel Krüger, discutiram a possibilidade de realizar acordos de cooperação técnica com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), órgão ligado ao Ministério das Relações Exteriores e com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA-Japan International Cooperation Agency).
 
Pela manhã, os presidentes dos Creas foram recebidos na ABC pelo gerente da entidade, Wofsi Yuri de Souza, que apresentou um panorama dos programas de cooperação entre o Brasil e outros países, com ênfase nas temáticas ligadas ao Sistema Confea/Crea, como por exemplo, gestão de riscos, prevenção de desastres naturais e agricultura. Atualmente, os principais convênios da ABC envolvem o Japão, a Alemanha, Estados Unidos, Espanha e países da África Lusófona, como Moçambique e Angola.
 
Existe também a intenção de realizar acordos bilaterias no campo da assistência técnica e transferência de expertise. “Considero como de grande importância a aproximação do Sistema Confea/Crea com organismo de cooperação como a ABC e a JICA. Esses acordos poderão trazer consideráveis benefícios para os profissionais, que trocarão experiência com engenheiros de outros países, principalmente, na área de gestão de risco e desastres naturais dos quais sofremos no País”, destacou o presidente José Mário Cavalcanti. 
 
À tarde, foi realizada uma reunião com o Coordenador de Projetos da JICA, Mauro Manube Inoue, que detalhou os modelos de cooperação técnica existentes entre a agência japonesa e o Brasil, focados principalmente em projetos de meio ambiente e problemas urbanos.
 
Na opinião do presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, o Sistema Confea/Crea poderá ajudar na organização de conselhos profissionais nos países que não há esse modelo formatado, fortalecendo a categoria. “O País é visto como modelo pela organização de um conselho forte, que tem atribuições reguladas por normas. O trabalho realizado pelos conselhos garante segurança aos profissionais, mas, principalmente, à sociedade”, afirmou o presidente do Crea Pernambuco.
 
Para Krüger, as reuniões foram profícuas pois possibilitam a integração e a troca de experiências entre os profissionais do Sistema. "Tanto a ABC quanto a JICA contam com diversos projetos de grande interesse para as diversas modalidades da engenharia. Vamos estudar uma atividade específica de cooperação e linhas de ações conjuntas para o aprimoramento e a valorização das nossas profissões", ressaltou.
 
Com informações de Felipe Pasqualini da ASC do Crea-PR