Profissional registrado terá até 30 de julho para pagar anuidade do Crea-PE sem multa

Prazo foi prorrogado em decisão unânime do plenário do Confea após pedido do Colégio de Presidentes devido às dificuldades enfrentadas diante da pandemia

Os profissionais registrados no Crea-PE poderão efetuar o pagamento da anuidade sem multa até o dia 30 de julho. O prazo foi prorrogado na última quinta-feira (25) pelo plenário do Confea por unanimidade, atendendo a um pleito dos profissionais em todas as regionais devido às dificuldades enfrentadas pela pandemia de covid-19.

O Crea-PE tem tratado deste assunto junto ao Confea desde fevereiro, quando apresentou, nos dias 3 e 4, uma proposta junto ao Colégio de Presidentes, de prorrogação de prazo e parcelamento da anuidade, conforme o cenário que se desenhava para a economia pernambucana. Após uma série de debates, chegou-se ao entendimento de uma proposta geral para ser seguida por todos os conselhos regionais do Brasil.

“Estamos atentos a esses desafios, buscando agilizar o debate e as medidas, reconhecendo que estamos em um momento que exigirá a contribuição de todos”, reiterou o presidente do Confea, Joel Krüger, que dividiu a condução dos trabalhos com o vice-presidente, João Carlos Pimenta, ambos engenheiros civis.

Com a decisão sobre o adiamento das anuidades, a cota única no valor integral definido para o exercício deverá ser paga (sem juros) até 30 de julho. Até a mesma data, poderão ser solicitados os parcelamentos do valor integral definido para o exercício (em até cinco parcelas). Para os parcelamentos realizados (também em até cinco parcelas iguais e sucessivas) e para o pagamento em cota única, a partir de 1º de agosto, incidirá mora de 20% sobre o valor integral definido para o exercício.

Para Adriano Lucena, presidente do Crea-PE, a decisão do Confea é reflexo de um sistema que dialoga com as entidades regionais e está atento às demandas dos seus profissionais. “A pandemia afetou o mundo inteiro e aqui no Brasil estamos enfrentando sua pior fase. Os impactos econômicos são graves e os profissionais têm procurado os Conselhos para negociar novos prazos. Aqui em Pernambuco temos consciência que nosso papel primordial é representar a categoria, sendo este o norte que pavimenta nosso trabalho. Em um momento como este, que demanda, mais do que nunca, colaboração e solidariedade, essa ação vem somar positivamente”.