Salgueiro na rota do desenvolvimento

Após anos de esquecimento, Salgueiro passa a fazer parte da rota do desenvolvimento econômico do Estado a partir de decisão política para instalação de empreendimentos estruturadores, a exemplo da construção da Ferrovia Transnordestina, que liga Salgueiro ao Porto de Suape (PE), Salgueiro ao Porto de Pecém (CE) e Salgueiro a Eliseu Martins (PI).

De acordo com dados apresentados pelo gerente de Engenharia da Odebrecht, Danilo Santiago, durante o I Encontro Profissional Cidadão – Regional Salgueiro, existem onze mil colaboradores nas 25 frentes de trabalho, que foram iniciadas a partir de Salgueiro sentido Eliseu Martins, Porto de Suape e Porto do Pecém.
 
Atualmente, a construtora conta com oito canteiros de obras em operação, são eles: Itaueira (PI), Paulistana (PI), Nascente (PE), Parnamirim (PE), Salgueiro (PE), Serra Talhada (PE), Arcoverde (PE) e Missão Velha (CE). Quanto aos avanços físicos, Santiago informou que já passou dos 30% na infraestrutura. Das 183 pontes e viadutos previstos no projeto, entre os trechos de Pernambuco, Piauí e Ceará, 24 já foram concluídas e outras 21 estão em execução. Segundo Danilo Santiago, a previsão é de quem, em 2013, seja o início da operação da Transnordestina.
 
Além da ferrovia, o prefeito Marcones Libório de Sá lembrou-se da construção da Ponte do Ibó sobre o Rio São Francisco, na BR-116, ligando Ibó, no município de Belém do São Francisco (PE), a homônima Ibó, no município de Abaré (BA). Na opinião do prefeito, está na hora da população aproveitar as oportunidades oferecidas. “A taxa de desemprego é de 6%, quando no passado era de 30%. Esse número só não é menor porque ainda tem muita gente sem qualificação. O desenvolvimento tem que ser não só em Salgueiro, mas nas cidades vizinhas para que a concentração não gere o desequilíbrio social como ocorreu em outras regiões”, defendeu o prefeito.
 
Após as palestras, os profisisonais e estudantes fizeram uma visita técnica às obras de ampliação do Estádio Municipal de Salgueiro, executadas pela Odebrecht, e à fábrica de dormentes da Transnordestina.
 
Kele Gualberto
Chefe da ASC do CREA-PE