Home > Arquivo > Aluguel de casas já para a Copa

Aluguel de casas já para a Copa

  Os titulares da seleção de futebol nem estão definidos e as obras dos estádios para a Copa estão longe do fim, mas já há brasileiros que fecharam contrato de aluguel de seus imóveis para o período da competição, em 2014. O alvo são turistas estrangeiros e mesmo brasileiros fãs de futebol, que aceitariam pagar até R$ 35 mil por mês pela hospedagem. A oferta parte de moradores das cidades-sede da Copa, como Manaus, Fortaleza, Recife, São Paulo e Brasília, ou de municípios vizinhos, próximos aos novos estádios.

  Os anúncios são colocados em sites ou nas redes sociais – alguns escritos em inglês e espanhol. Como a propaganda é a alma do negócio, os anúncios oferecem casas perto dos estádios e com fácil acesso a praias e a pontos turísticos. E cada um exalta sua própria terra: um mineiro, por exemplo, define Belo Horizonte, em inglês, como “a capital brasileira dos bares para todos os gostos”.   Alguns já conseguiram fechar negócio, como Lucas Faggioni, 23 anos, que alugou seu apartamento em São Paulo para um britânico, por R$ 6 mil durante dois meses na época da Copa. A 20 minutos de Brasília, o imóvel do enfermeiro Robert Neves Sales, 40, em Taguatinga, já foi reservado para um grupo de brasileiros e argentinos para a Copa das Confederações, em 2013. Sales costuma alugar a casa, que tem churrasqueira e piscina, por R$ 2 mil para eventos. Na Copa, o enfermeiro planeja lucrar até R$ 20 mil em uma semana.   Outros brasileiros ainda não assinaram contratos, mas já fizeram as contas dos possíveis ganhos e publicaram anúncios. A enfermeira Jailcy Sousa da Silva, 36 anos, de Manaus (AM), pretende cobrar R$ 9 mil por um mês. Em Fortaleza, um grupo de moradores de um condomínio fechado oferece as casas com um bônus: quem alugá-las poderá usar a piscina e a quadra de futebol coletivas. O foco deles são os estrangeiros. A bancária Bruna de Sousa, 22, por exemplo, espera lucrar até R$ 35 mil em um mês com o negócio. 

   No Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, a ideia do aluguel surgiu de um papo com colegas estrangeiros do supervisor de obras Valdir Ribeiro da Silva, 40. “Eles contam que já há procura na Europa por hospedagem na nossa Copa”. Ele vai cobrar 1,6 mil euros (aproximadamente R$ 3,7 mil) por 30 dias pela casa, com café e jantar.

  Longe da praia e da Amazônia, há quem dividirá apartamento com o hóspede, como Nathália Gasparini, 25, de Brasília. A única regra: que o turista aceite na casa Miu, seu cão lhasa apso. O mineiro Mateus de Filippo, 34, fará o mesmo. Ele procura estrangeiros, como uma troca cultural. “Meu interesse é desenvolver o inglês”.

Fonte: Folha de Pernambuco

Check Also

Novo diretor financeiro da Mútua será eleito hoje

Cumprindo determinação do Confea, através da Resolução 1.117/19, bem como a Deliberação nº 147/2020-CEF, aprovada …