Home > Arquivo > Arnaldo Cardim apresenta resultado do GT Revisão do Regimento Interno no Seminário

Arnaldo Cardim apresenta resultado do GT Revisão do Regimento Interno no Seminário

Chã Grande, 15 de março de 2013

O 1º vice-presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), Arnaldo Cardim, apresentou na tarde desta sexta-feira (15) o resultado do Grupo de Trabalho (GT) – Revisão do Regimento Interno do Crea-PE para os conselheiros e inspetores regionais, que estão participando do 4º Seminário Conselheiro e Inspetor Cidadãos, na cidade de Chã Grande, no Agreste pernambucano.

De acordo com Cardim, os motivos das mudanças foram: ilegalidade consentida de alguns artigos da lei, a criação do CAU, a caducidade e contradição encontrada no atual regimento. “Por mais bem elaborado o regimento, ele tem um período que caduca, por isso são necessárias algumas mudanças. Procuramos fazer um documento mais dinâmico”, explicou o coordenador do GT. Outro exemplo citado foi a aparição do termo arquitetura está registrado, pelo menos, umas seis vezes no texto atual.

O novo documento propõe a redução do número de artigos de 196 para 133. “Usamos o critério de exclusão de artigos que tratam de atividades administrativa de modo a adequar a realidade da estrutura do Crea-PE. Outra modificação importante foi a mudança do status do conselheiro suplente com participação nas comissões, além do Plenário e Câmaras Especializadas”, justificou.

O GT foi formado através da PL-PE 34.2012, na sessão plenária 1.761 de 21 de março de 2012, que indicou os nomes dos seguintes conselheiros: Alexandre Krause, Anderson de Souza Rosal, Aníbal Galindo, Arnaldo Cardim e Clóvis Arruda d’Anunciação, além de contar com a colaboração do chefe de Gabinete, Osvaldo Fonsêca, e da secretária Érica Patrícia. A instalação do GT ocorreu em maio de 2012 e conseguiu reunir-se 13 vezes no ano passado, sendo uma reunião extraordinária ocorrida em Brasília.

Manual do Conselheiro

O chefe de Gabinete, Osvaldo Fonsêca, apresentou o Manual do Conselheiro. Ele falou sobre a importância de todos os conselheiros conhecerem a Lei 5.194/66 para exercer o trabalho. Osvaldo explicou o andamento do processo administrativo, sendo ele: instauração, instrução, defesa, relatório e julgamento.

Entre outros assuntos abordados, Osvaldo destacou o parecer técnico. “O conselheiro relator precisa se manifestar com argumentos técnicos para dar o parecer para que não haja falha no processo”, explicou.

Sobre a Comissão de Ética, a assessora Jurídica Ana Rita Falcão explicou que a comissão funciona como uma apuração, mas não sugere penalidade. “Quem aplica a penalidade é a Câmara”, disse.

Kele Gualberto
ASC do Crea-PE

Check Also

Novo diretor financeiro da Mútua será eleito hoje

Cumprindo determinação do Confea, através da Resolução 1.117/19, bem como a Deliberação nº 147/2020-CEF, aprovada …