Colégio de Presidentes discute entrada de profissionais estrangeiros no país

Na abertura da 3ª Reunião Ordinária do Colégio de Presidentes do Sistema Confea/Crea e Mútua, hoje, em Foz do Iguaçu, o presidente do Confea, engenheiro civil José Tadeu da Silva, externou sua preocupação com a questão da entrada dos profissionais estrangeiros no país. De acordo com ele, o Sistema atravessa hoje um momento de transição, inclusive com a saída dos arquitetos. “Estamos, também, num momento em que o país atravessa um momento ímpar de estabilidade democrática e econômica. Porém, precisamos analisar com muita clareza os pilares econômico, social e ambiental, pois sabemos que todas essas questões passam pelo nosso exercício profissional”.


Nesse contexto, o presidente relembrou que hoje, como a crise está assolando lá fora, os profissionais estrangeiros querem vir para o país, entretanto, livremente e até mesmo sem a necessária reciprocidade. José Tadeu destacou a situação que vem ocorrendo com os médicos e que pode vir a ser expandido para os profissionais da área tecnológica. Segundo ele, os Conselhos de Medicina têm combatido a decisão da presidenta Dilma Rousseff de editar um decreto visando facilitar a entrada de médicos estrangeiros no Brasil sem nenhuma revalidação do registro ou diploma.


Ainda, Tadeu ressaltou dois outros exemplos de ações que passam pelo questão do exercício profissional e que devem ser discutidas pelo Colégio de Presidentes do Sistema para definir as ações a serem adotadas. Uma delas é o projeto de alteração da Lei de Diretrizes e Bases da Educação no sentido de que o diploma de estrangeiros seja reconhecido automaticamente pelas universidades brasileiras, sem passar pela análise dos Conselhos Profissionais. O outro, o Acordo de Montevidéu que estabelece o livre comércio e serviço no Mercosul.


“Todos esses assuntos estão passando pela questão do exercício profissional. São problemas não só do presidente do Confea, mas de todos os profissionais do país. É de nossa responsabilidade, do Sistema Confea/Crea e, por isso, vamos discutir o assunto e encontrar as soluções necessárias que todo o país espera de nós”, afirmou Tadeu. O tema deverá voltar à pauta da reunião do Colégio de Presidentes que segue até quarta-feira.


Tânia Carolina Machado

Assessoria de Comunicação do Confea