Crea-PE propõe convênio de cooperação técnica com município de Goiana

Recife, 07 de março de 2013

O presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), José Mário Cavalcanti, e o superintendente Roberto Arrais reuniram-se, nesta quarta-feira (06), com os secretários de Agricultura, Ivo Câmara Cavalcante (também Inspetor Regional do Crea-PE), e de Articulação Política, Marcello Mendonça, além da chefe de Gabinete, Anabel Soares, e do presidente da Agência de Desenvolvimento de Goiana, Francisco Lucchesi Júnior, para tratar de um convênio de cooperação técnica entre o Conselho e o município. O documento foi entregue e será analisado pelo Jurídico de Goiana para ser assinado posteriormente pelo prefeito Fred Gadelha.

O convênio prevê o aprimoramento da ação fiscalizadora, através da verificação da participação de profissionais habilitados do Sistema Confea/Crea nos estudos, projetos e implantação de empreendimentos de Engenharia, Agronomia, Geologia, Geografia e Meteorologia, executados pelas entidades públicas da área jurisdicional do município, com vistas a assegurar-lhes, em todas as fases, a necessária economicidade, qualidade e segurança.

“Goiana passa por um momento auspicioso devido a sua posição estratégica, pois se localiza entre duas capitais, Recife e João Pessoa. É um município com uma grande potencialidade turística com belas praias e um com um centro histórico belíssimo. A cidade precisa aproveitar e se preparar para os investimentos que aqui estão sendo instalados, como a fábrica de automóveis da Fiat, o polo farmacoquímico com a Hemobrás. Por isso, temos o interesse de fortalecer ainda mais a Inspetoria de Goiana e viemos aqui para apresentar esse convênio, onde todos saem ganhando”, destacou o presidente do José Mário Cavalcanti.  

Na opinião de Anabel, uma das principais necessidades do município é melhorar a capacitação na fiscalização de obras e serviços de engenharia. Neste aspecto, o presidente José Mário colocou o Conselho à disposição para ajudá-los.

Outro assunto discutido foi com relação ao cumprimento da Lei 4.950/A, que defende o salário mínimo dos engenheiros e agrônomos, sendo seis salários mínimos para seis horas trabalhadas e oito e meio salários mínimos para oito horas trabalhadas. “Desta forma, vocês terão um profissional muito mais estimulado”, disse José Mário. Anabel falou sobre a dificuldade de encontrar engenheiros na cidade.

O presidente explicou que o convênio pode ser trabalhado dentro da Lei 11.888, de 24 de dezembro de 2008, que assegura às famílias de baixa renda assistência técnica e gratuita para projetos e a construção de habitação de interesse social.

Sobre a duplicação da BR-101, José Mário sugeriu a realização de uma Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) para verificar a situação no local. A data ainda não foi definida. 

Kele Gualberto
ASC do Crea-PE