Eleita nova diretoria da Mútua

O engenheiro agrônomo e engenheiro de segurança do trabalho Cláudio Pereira Calheiros será o novo presidente da Mútua. A diretoria será completada pelo técnico em edificações Lino Gilberto da Silva, pelo engenheiro agrônomo Ricardo de Arruda Veiga, pelo engenheiro agrônomo Luiz Alberto Freitas Pereira e pelo engenheiro eletricista Antônio Salvador da Rocha. As eleições dos últimos diretores executivos da Mútua e a de seu diretor-presidente aconteceram, na última terça-feira (3/7), na Plenária Extraordinária do Confea.

O processo eleitoral, transmitido ao vivo pelo site do Confea, elegeu inicialmente os três últimos diretores, que se somaram aos já eleitos Luiz Alberto Freitas Pereira e Antônio Salvador da Rocha, ex-presidentes dos Creas do Amapá e do Ceará, respectivamente, escolhidos no último dia 25/6, em Natal, durante reunião do Colégio de Presidentes. A nova diretoria para o triênio 2012-2015, presidida pelo alagoano Cláudio Pereira Calheiros, tomará posse no dia 24 de agosto.

O processo eleitoral, conduzido pelo assistente da Comissão Eleitoral do Confea, advogado João de Carvalho, foi bastante disputado. Inicialmente, na eleição dos representantes que completariam a diretoria, em que cada um dos 18 conselheiros federais habilitados poderiam votar em até três candidatos, foram registrados os seguintes resultados: 13 votos para o candidato Ricardo de Arruda Veiga; 10 votos para Cláudio Pereira Calheiros; oito votos para Adriano Garcia de Souza, Lino Gilberto da Silva e Idalino Serra Hortêncio; um voto para  Iracy Vieira Santos Silvano. Quatro conselheiros votaram em apenas dois candidatos, enquanto um conselheiro votou em apenas um candidato. Com o empate na terceira posição, ficou constatado que o registro mais antigo na Mútua era o de Lino Gilberto da Silva, o que  lhe conferiu o direito de integrar a diretoria.

No momento seguinte, foi eleito o diretor-presidente da Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea. Três diretores declinaram da candidatura: Ricardo de Arruda Veiga, Lino Gilberto da Silva e Luiz Alberto Freitas Pereira. Partiu-se então para uma nova eleição, entre Antônio Salvador da Rocha e Cláudio Pereira Calheiros. Após os pronunciamentos dos dois candidatos, os conselheiros federais elegeram Cláudio Pereira Calheiros por 10 votos, contra seis de Antônio Salvador da Rocha. Houve um voto em branco e um nulo.

Em seus pronunciamentos, antes e após a eleição, Calheiros declarou seu compromisso com o Sistema Confea/Crea e Mútua, discorrendo sobre projetos como a descentralização da Mútua, mudanças no plano de saúde, plano de previdência, além de medidas de marketing, medidas que já teriam se iniciado na gestão atual. “Precisamos reformular o destino da Mútua. Este projeto não é de um diretor, é de todos nós. Avançamos bastante nesta diretoria, com a participação de todos, nestes aspectos. Mas temos muito o que avançar. Para isso, todas as alterações precisam passar pelo plenário. A descentralização precisa ser feita com responsabilidade. Temos que promover uma discussão e uma avaliação constante com os Creas e as Mútuas regionais e até alterar o procedimento eleitoral para a eleição dos diretores da Mútua. Temos que procurar trazer os técnicos e universitários para próximo da Mútua. Precisamos quebrar alguns paradigmas, precisamos ousar, vamos ousar. Conto com cada um de vocês. Agora, somos cinco diretores eleitos para dirigir a Mútua para mais de 900 mil profissionais”.

Henrique Nunes
Assessoria de Comunicação e Marketing do Confea