Engenheiros eletricistas discutem a MP 579

Recife, 03 de abril de 2013

O representante do Instituto de Desenvolvimento Estratégico do Setor Energético (Ilumina), engenheiro eletricista José Antonio Feijó, participou, nesta quarta-feira (03), como palestrante da segunda reunião extraordinária da Coordenadoria de Câmaras Especializadas de Engenharia Elétrica (CCCE), na cidade de João Pessoa – PB. Atendendo a uma solicitação da presidente do Crea-PB, Giucélia Figueiredo, o presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, convidou Feijó para falar sobre as consequências da MP 579 no setor elétrico do País.

Na opinião de Antonio Feijó, a redução na tarifa de energia elétrica de 20% vai afetar principalmente as empresas estatais, o que poderá gerar um desmantelamento do setor, influindo na economia de forma negativa.

Para o presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, o Governo precisa garantir tarifas mais acessíveis para todos os cidadão. “Devemos nos interessar e debater ainda mais sobre esse assunto e não havia fórum melhor qualificado para a discussão, por isso levamos Feijó para esclarecer todas as dúvidas. O Governo Federal precisa mudar o sistema de modicidade tarifária. A energia elétrica é um bem essencial e não uma mercadoria como as que estão na bolsa de valores. Estamos percebendo que o setor privado está querendo fazer prevalecer seus interesses acima dos interesses do bem-estar do povo brasileiro”, criticou o presidente.

A presidente Giucélia Figueiredo propôs a elaboração de uma moção de apoio às empresas estatais do setor elétrico e solicitar ao governo uma mudança no sistema tarifário.