GT do Crea-PE, mais uma vez, trabalhará para reconstruir Palmares

Na terceira incursão do Grupo Técnico (GT), formado pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), à Palmares, amanhã (07), os profissionais, irão, mais uma vez, como voluntários, contribuir com a reconstrução da cidade devastada pelas enchentes. Como explicou o presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, as ações no município servirão de piloto para a extensão dos trabalhos a outras áreas da Mata Sul.

De acordo com o coordenador do GT, arquiteto Ney Dantas, o trabalho deste sábado será feito nas margens do Rio Una, nos limites do município de Palmares. Dantas explicou que os técnicos irão definir a faixa de domínio do rio, as zonas non aedificandi para que seja concebido o projeto de reflorestamento das matas e do parque municipal que deverá ser construído onde antes havia edificações de ocupação irregular. O trabalho deverá ser feito em barcos, por um grupo de 15 profissionais, entre eles, engenheiros de pesca, florestais, civis e arquitetos, que farão um mapeamento das atuais condições de degradação da vegetação nas margens direita e esquerda do rio.

O objetivo é auxiliar o poder público em ações que garantam a manutenção do curso original do rio, de modo que seja possível, se não impedir, ao menos, minimizar as possibilidades de tragédias na mesma proporção da ocorrida recentemente. “Se respeitados os limites e o curso do rio, assim como se garantirmos a recomposição da mata ciliar, estaremos dando importante passo no sentido de contribuir com a natureza para que, por uma questão de sobrevivência, não venha pegar de volta aquilo que tiramos dela durante anos”, explicou o presidente do Crea-PE, dizendo ainda que, a tragédia mostrou claramente, que a natureza veio em busca do que lhe pertencia. “Quando as cidades foram inundadas, as águas fizeram o percurso original do rio, alterado por construções indevidas”, concluiu.

Outro objetivo da ação que será promovida no sábado é facilitar a continuidade dos trabalhos de vistoria nos imóveis da cidade. “Esperamos que esse trabalho resulte de forma positiva numa maior eficácia das perícias”, disse o arquiteto Ney Dantas. Ele disse ainda, que, também no sábado, serão discutidos os detalhes da próxima visita prevista para o sábado (15), quando deverão estar presentes mais de 100 profissionais.

O presidente do Instituto Pernambucano de Avaliações e Perícias de Engenharia de Pernambuco (IPEAPE), engenheiro Sílvio Romero, também irá à Palmares amanhã, para definir como serão feitas as avaliações nos imóveis que serão demolidos. É através do trabalho dos profissionais indicados pela entidade de classe que será possível estabelecer o valor venal da indenização que deverá ser paga aos proprietários dos estabelecimentos que serão demolidos.

Apesar da grande participação que está acontecendo em torno da ação desenvolvida pelos profissionais do Sistema Confea/Crea/Mútua, segundo o arquiteto Ney Dantas, em função da intenção de expandir o projeto para outros municípios atingidos ainda é importante o engajamento de mais profissionais de qualquer modalidade do Sistema. “Temos muito trabalho a fazer e quanto mais gente nessa corrente de solidariedade, melhor”, conclui.

Todas as atividades do Grupo Técnico (GT) são resultado da ação conjunta das seguintes entidades de classe: Sindicato dos Engenheiros de Pernambuco (SENGE-PE); Associação Pernambucana de Engenheiros Florestais (APEEF); Clube de Engenharia de Pernambuco (CEP); Instituto Pernambucano de Avaliações e Pericias de Engenharia (IPEAPE); Sindicato dos Arquitetos do Estado de Pernambuco (SAEPE); Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); Associação dos Engenheiros de Segurança do Trabalho de Pernambuco (AESPE); Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/PE); Sindicato dos Técnicos de Pernambuco (SINTEC-PE); Associação Profissional dos Geólogos de Pernambuco (AGP) e Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE).

Dilma Moura

ASC do Crea-PE