Presidente do Crea-PE compõe mesa do primeiro painel da 67ª SOEAA

Na manhã de hoje (23), o presidente do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), José Mário Cavalcanti, foi convidado para compor, como secretário, a mesa do primeiro painel do encontro anual, sobre o tema Perspectivas do Desenvolvimento Mundial, que teve como principal palestrante o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Nelson Henrique Barbosa Filho, que fez uma análise comparativa sobre a situacão do País na grande crise da década de 30  e a atual.

Henrique Filho apontou, principalmente, os caminhos buscados pelo Governo Lula para minimizar os efeitos da crise e a rápida recuperacão da economia brasileira  frente a paises desenvolvidos, que ainda sofrem com os efeitos da crise.

Em seguida, Ana Rosa Soares, representante do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), falou sobre Metas do Milênio, detalhando os esforços que estão sendo feitos para o alcance das oito metas estabelecidas pelo órgão da Organização das Nações Unidas, que são: A erradicação da extrema pobreza e da fome; Atingir o ensino básico universal; Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres; Reduzir a mortalidade na infância; Melhorar a saúde materna; Combater o HIV/Aids, a malária e outras doenças; Garantir a sustentabilidade ambiental e Estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento. A palestrante chamou a atenção para o fato de que em 2015 essas metas devem ter alcançado número igual a 50% em todo o mundo. “Se pensarmos bem, veremos que, a melhoria desses problemas em apenas 50% dos casos é muito pouco. No entanto, devemos entender que já teremos feito bastante, principalmente, quando avaliarmos que estaremos, por exemplo, evitando a morte de milhares de pessoas, entre as quais, crianças”, disse, Ana Rosa.

Com um tema de interesse comum a vários setores da economia nacional, a palestra feita pelo diretor geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antônio Pagot, sobre a infraestrutura de transportes do País, foi ouvida por uma plateia bastante atenta. Para explicar melhor o processo de reconstrucao que tem sido implementado no setor, Pagot fez uma avaliação histórica das malhas de transportes brasileiras. “O Brasil passa por uma verdadeira revolução com investimentos nas grandes obras de infraestrutura, o que nos dá a perspectiva de que em 2014 teremos 14 mil quilômetros de rodovias duplicadas”, disse otimista.

O palestrante admitiu que nada foi feito para promover a integração da América Latina dizendo que, com os investimentos que estão sendo feitos na área, os problemas tendem a ser solucionados e destacou os grandes projetos que estão sendo realizados em parceria com a Colômbia e o Peru.

O diretor geral do Dnit, apontou alguns desafios para os próximos anos como: investimentos pós PAC 2 e o aumento do Produto Interno Bruto (PIB). Com o tempo reduzido para concluir sua fala, Pagot pediu para finalizar sua participação com uma breve avaliação sobre a ética profissional se dirigindo à platéia com a seguinte mensagem, “Não coloquem a ART de vocês ou assinatura em planilhas de qualquer projeto, porque, muitas vezes, a corrupção pode nascer da assinatura de vocês”, concluiu.

Desafios e Oportunidades do Pós-crise Internacional foi o tema debatido pela presidenta da Federação Mundial das Organizações de Engenheiros, Maria Prieto Lafargue.

Dilma Moura de Cuiabá (MT)

ASC do Crea-PE