Presidente do Crea-PE inicia rodada de diálogos com entidades de classes

Nove presidentes de associações, sindicatos e institutos de profissionais de engenharia, agronomia e geociências se encontraram com Adriano Lucena nos dias 19 e 20 de janeiro

Desde que tomou posse no início de janeiro, a nova gestão do Crea-PE tem buscado estreitar os canais de diálogo com as categorias que representa para melhorar a prestação de serviço aos engenheiros, agrônomos e profissionais das geociências. A fim de reforçar a prioridade desta agenda, o presidente do Conselho, Adriano Lucena, organizou uma rodada de reuniões nesta terça (19) e quarta-feira (20) com os presidentes de nove entidades de classes do setor.

Os encontros tiveram como finalidade ouvir as diversas demandas das categorias e resgatar a relevância representativa do Crea-PE nas diversas classes profissionais. “Iniciamos um diálogo com todas as entidades ligadas ao sistema. Escutamos suas demandas e colocamos o Crea-PE à disposição de suas necessidades. Elas poderão contar com uma gestão democrática e participativa que vai trabalhar para tornar o sistema cada vez mais eficiente e fortalecê-lo com a chegada de outras entidades com as quais pretendemos firmar parcerias”, disse Adriano Lucena.

Mozart Arnaud, presidente do Sindicato dos Engenheiros de Pernambuco (Senge-PE), falou sobre as expectativas em relação ao fortalecimento da engenharia pernambucana nos próximos anos: “Nós tivemos uma reunião muito profícua. Adriano Lucena é uma pessoa que o Senge acredita e que terá todas as condições de fazer uma ótima gestão, aproximando não só o sindicato, como todas as entidades representativas das diversas modalidades de engenharia aqui de Pernambuco. É preciso fomentar a engenharia pernambucana, que tem tradição, mas que infelizmente estava escanteada, sem ser prestigiada. Então eu saio desta reunião com muito otimismo”.

O presidente da Associação Pernambucana de Engenheiros Florestais (APEEF), José Roberto da Silva, apresentou o panorama do setor: “Nesta primeira reunião apresentamos as demandas da engenharia florestal. Foi um encontro muito produtivo, onde expomos nossos problemas e potencialidades e fomos muito bem recebidos pela gestão, formada por profissionais muito competentes. Acreditamos que a gestão será bastante proveitosa”.

A rodada de discussões seguiu com a presença do presidente da Associação dos Engenheiros Ambientais e Sanitaristas de Pernambuco, Rodolfo Alves. A entidade irá auxiliar a gestão do presidente Adriano Lucena com uma vaga no conselho do Crea-PE. “Estamos tendo para 2021 a vaga de conselheiro pela entidade. Queremos trazer essa contribuição da Engenharia Ambiental para esse momento. A Associação se coloca à disposição da nova gestão como forma de trazer a melhor contribuição desses profissionais para os próximos três anos”, destacou.

Participaram da rodada de conversas os presidentes José Rodolfo Rangel Moreira Cavalcanti, da Associação dos Engenheiros de Pesca de Pernambuco (AEP/PE); Audenor de Almeida Marinho, da Associação dos Engenheiros de Segurança do Trabalho de Pernambuco (Aespe); Audenor de Almeida Marinho, da Associação dos Engenheiros de Segurança do Trabalho de Pernambuco (Aespe); Lucila Ester Prado Borges, da Associação dos Geólogos de Pernambuco (AGP); José Roberto, da Associação Pernambucana de Engenheiros Florestais (APEEF); Urbano Lins, Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Petrolina (Assea); Tácito Quadros Maia, do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Pernambuco (Ibape-PE); Mozart Bandeira Arnaud, do Sindicato dos Engenheiros de Pernambuco (Senge-PE); Stênio de Coura Cuentro, da Associação Brasileira de Engenheiros Civis  de Pernambuco (ABENC-PE); e Rodolfo Alves de Souza Neto, Associação dos Engenheiros Ambientais e Sanitaristas de Pernambuco (AEAMBS-PE).