Transparência do Crea-PE é discutida entre presidente do Conselho e profissionais

Adriano recebeu os engenheiros civis Eduardo Barros e Leovigildo Galdino para uma conversa sobre as iniciativas do Conselho. Ideia é estreitar os laços do órgão com as categorias que representa

Tornar o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE) mais transparente é um dos objetivos estratégicos da nova gestão para o próximo triênio. Seguindo esta premissa, o presidente Adriano Lucena recebeu, nesta quinta-feira (21), na sede do Crea-PE, os engenheiros civis Eduardo Barros e Leovigildo Galdino. Os profissionais debateram caminhos para tornar o Conselho mais próximo da categoria.

Os engenheiros aproveitaram a conversa para cobrar uma maior fiscalização nas construções. Segundo Eduardo Barros, algumas obras não estão sob responsabilidade de um engenheiro civil. “Vejo que a nossa classe está um pouco afastada do Crea e nossa prioridade hoje é que mais obras sejam fiscalizadas. Algumas delas não têm sequer um engenheiro. Há muitas fiscalizações prediais que não vinham sendo executadas”, alertou. 

Na avaliação do presidente Adriano Lucena, a visita dos engenheiros na sede do Crea-PE está em sintonia com a proximidade que a categoria exige do Conselho. “A categoria deseja um Crea transparente, saber como o Conselho está alocando os recursos e quais as estratégias para aumentar a eficiência, diminuindo a burocracia e agilizando o tempo”, disse Adriano Lucena. 


O gestor reforça que as portas estão abertas para todos os profissionais do sistema Confea/Crea. Ter a participação de todos e de todas tornará o Conselho mais representativo. “Queremos contar com a participação de todos na construção de um Crea forte e atuante. Para tanto é importante que os profissionais conheçam não apenas nosso segmento administrativo e financeiro, mas também as funções políticas do Conselho junto à sociedade civil e poder público”, destacou Adriano Lucena.