Profissionais do Sistema participam de encontro do CEP em Garanhuns

Os profissionais das engenharias, arquitetura e agronomia atuantes no município de Garanhuns e cidades adjacentes foram contemplados, na última segunda-feira (26), com o Encontro Preparatório para o 7º Congresso Estadual de Profissionais (CEP). O evento aconteceu no auditório da Autarquia Superior de Ensino de Garanhuns (AESGA) e reuniu cerca de 50 participantes que discutiram sobre as melhorias para as profissões ligadas ao Sistema Confea/Crea. 

Para José Mário Cavalcanti, presidente do Crea-PE, o encontro em Garanhuns foi oportuno pelo crescimento da cidade e por já existir formação de engenheiros. “Já tomei conhecimento que em breve Garanhuns ganhará um curso de engenharia civil aqui na AESGA”, informou. O presidente destacou a importância do constante aperfeiçoamento dos profissionais para atender as demandas da população. 

Além do presidente do Crea, estavam presentes na mesa de abertura o superintendente da instituição, Osvaldo Fonseca, o secretário de Agricultura, Meio Ambiente e Recursos Hídricos do município, Rafael de Lima, e o inspetor coordenador de Garanhuns, Aristóteles Bastos. Na ocasião, foi abordado o compromisso com a interiorização do Crea, levando apoio aos profissionais. “Estabelecemos este ano a meta de fazermos três seminários. Os temas serão questões urbanas, acessibilidade, arborização, manejo das águas e projetos estruturadores regionais. Vamos trazer especialistas para refletir sobre os problemas da região”, disse o inspetor Aristóteles Bastos. 

As palestras abordaram os temas: Organização do Sistema, Exercício e Formação Profissional, Integração Profissional e Social, além de Inserção Internacional. Osvaldo Fonseca, superintendente do Crea, falou sobre a Organização do Sistema e destacou as resoluções que integram o código de ética, o registro profissional, a distribuição das atribuições profissionais, a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) e Acervo Técnico. “Essas são as resoluções mais importantes para o exercício profissional”, disse Fonseca. 

Já Fernando Moura, vice-presidente do Clube de Engenharia de Pernambuco e integrante da comissão organizadora do CEP, palestrou sobre o Exercício e Formação Profissional, tratando da atuação profissional, as obrigações legais e um breve histórico das profissões. Para a arquiteta Lúcia Escorel, do Instituto de Arquitetos do Brasil, hoje existe uma flexibilidade que exige melhor preparação para acompanhar o mercado profissional. “É preciso estabelecermos formas comuns de vida e atuação”, disse. A arquiteta explicou os conceitos de integração profissional e social ao público participante. 

O presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, ministrou palestra sobre Inserção Internacional. José Mário falou sobre o desenvolvimento econômico e tecnológico do país e globalização. “O Brasil não é mais um país subdesenvolvido e emergente, ele é tecnologicamente desenvolvido, mas ainda injusto. Como é possível sofrermos no século XXI com as chuvas? Nós, profissionais liberais autônomos, temos que mudar isso”, disse. O presidente explicou o Movimento Pensar Pernambuco, lançado por ele no município de Goiana, onde aconteceu o primeiro encontro do CEP, também homologado nos municípios de Serra Talhada, Araripina, Petrolina e Garanhuns. “O movimento é um desafio para que possamos construir um Estado melhor. Vamos pensar juntos as ações para o desenvolvimento de Pernambuco e, consequentemente, do Brasil”, comentou. 

O próximo encontro será em Caruaru, no Hotel Eduardo de Castro, no dia 03 de maio, a partir das 18h30. Logo após, o Congresso Estadual de Profissionais acontecerá nos dias 14 e 15 de maio no Recife.