Seminário discute cidadania, ética e sustentabilidade no Crea-PE

O Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea) e o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE) realizaram no auditório do Regional a terceira rodada do 1º Seminário de Cidadania, Ética e Sustentabilidade com objetivo de revisar e uniformizar os processos éticos profissionais e orientar a capacitação dos operadores em suas aplicações. Participaram do evento, que aconteceu na terça-feira (13), conselheiros, coordenadores das Comissões de Ética, dirigentes das entidades de classe e das instituições de ensino.


Pela manhã, abrindo o ciclo de palestras, o doutor, filósofo e professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Alípio Casali fez palestra sobre “Noções Gerais de Cidadania, Ética e Sustentabilidade”. Nela o professor pôs em debate a importância da prática da ética e da cidadania, e a criação de conceitos e valores universais, onde seria aplicada a educação sustentável e a consciência ética, desde a base familiar até a formação adulta do indivíduo, como forma de criação de um mundo mais sustentável e menos desigual. Para Casali, a criação de um Estado forte agiria como agente regulador, tendo um papel fundamental na construção deste processo. Ele destacou que estamos vivendo uma crise civilizacional (de sustentabilidade) não só pela natureza egoísta do homem, mas, também, pelo processo histórico cultural que vivemos.
 
Ainda na sua abordagem o professor Casali chamou a atenção para os desafios que os profissionais de Engenharia e Arquitetura têm pela frente que são: ver a ética não apenas como “ferramenta” para melhores negócios, e sim como o próprio modo de ser dos negócios sustentáveis; a necessidade de fazer uma abordagem não convencional sobre ética profissional, mas, uma demonstração de fundamentos, capazes de surtirem efeitos que vão além da “sensibilização” e, por fim, considerar a ética como qualidade intrínseca à cidadania e ao profissionalismo.
 
Finalizando sua apresentação, o professor citou a Carta da Terra, criada na RIO-ECO92, que tem como princípios éticos básicos: o respeito e o cuidar da comunidade de vida, a integridade ecológica, a justiça social e econômica, a democracia como instrumento de paz e combate a violência.
 
No segundo painel, a representante e diretora de combate à corrupção da Organização Não Governamental (ONG) Amarribo Brasil, Lizete Verillo, afirmou que as ONGs desempenham um importante papel para o processo de conscientização ética e sustentável do cidadão. Exemplos disso: o programa anticorrupção que foi desenvolvido pela Amarribo, visando à fiscalização do dinheiro público; o programa Criatividade Pet, que utiliza métodos de Engenharia e Arquitetura sustentáveis para a reciclagem de garrafas de plástico na construção de moradias; o programa Voto Consciente; o Rede Jovens Ativistas e o Rede Cidades Ativistas, entre outros.
 
Para a diretora, esses mecanismos de ação social são iniciativas que servem como modelo sustentável, com base numa consciência ética, onde a prática da cidadania ganha força na luta contra a corrupção política e as barreiras da desigualdade social se estreitam. Apesar de, em 12 anos, essas ONGs terem crescido bastante e se disseminarem por todo o País, Verillo acredita que a maior das barreiras ainda continua sendo a falta de mobilização social.
O Código de Ética Profissional foi o foco principal das palestras do terceiro e último blocos, onde participaram da mesa: o engenheiro representante do Colégio de Presidentes e presidente do Crea-BA, Jonas Dantas, o engenheiro e representante da Coordenação Nacional (CDEN) Paulo Bubach, a presidente do Crea-PR, Suzely Soares, e o representante das Comissões de Ética dos Creas, e do Projeto Ética das Profissões do Confea, João Ricardo Ramos Soares.
 
A apresentação do projeto Ética das Profissões ficou a cargo de João Ricardo Ramos Soares. O representante do projeto contou um pouco sobre a história do Código de Ética Profissional e sua aplicabilidade no processo ético disciplinar.
 

O Seminário foi realizado também em Brasília e Florianópolis. Os eventos integram o Portfólio de Programas e Projetos de 2011 do Confea e serão sucedidos por uma Campanha Nacional de Divulgação do Código de Ética Profissional.

 

Henrique Ferreira e Dilma Moura

ASC do Crea-PE