Seminário internacional discutiu políticas de integração das nações americanas no Recife

O 1º Seminário Pensar as Américas – Integração, Solidariedade e Desenvolvimento, realizado de 23 a 27 de março, no Mar Hotel, no Recife, foi um importante marco para o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE) que, pela primeira vez, trouxe para o Estado um evento internacional resultante da parceria feita com o Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea), a Unión Panamericana de Asociaciones de Ingenieros (UPADI), o Colégio de Ingenieros de Venezuela (CIV) e demais organizações profissionais congêneres. O encontro reuniu representantes dos países latinos para discutirem melhorias na economia e na urbanização das três Américas. Entre os temas abordados, estavam Matriz Energética, Transporte, Mobilidade Urbana, Acessibilidade e Políticas Públicas de Integração das Nações. Participaram das palestras representantes de delegações da Colômbia, Haiti, Cuba, Venezuela, Canadá, Argentina e como convidada especial a Espanha. Na abertura, o presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti, discursou sobre a importância de estreitar as relações entre os países. “Por que não unir nossas capacidades, iniciativas de governos e toda a consciência social em busca de melhorias e paz entre as nações”, disse. De acordo com o anfitrião dessa primeira edição do evento, a intenção é promover o seminário anualmente, para que os países possam debater formas de integração e trocar experiências. “No contexto de globalização em que estamos vivendo, a consolidação das nações panamericanas, sob todos os aspectos – econômico, social, político, técnico –, passa por um projeto de integração física, isto é, devemos usar nosso conhecimento com o objetivo de viabilizar a infraestrutura necessária para a integração dessas nações”, afirma Cavalcanti, referindo-se a projetos de interesse comum das nações panamericanas em áreas como energia, transporte e comunicações, por exemplo. Em seguida, o presidente do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea), Marcos Túlio, destacou que a articulação pode contribuir para o trânsito livre entre os países e permitir o acesso ao desenvolvimento. Já o embaixador do Haiti, Idalbert Pierre-Jean, abordou a dificuldade de se chegar a uma unidade com povos distantes e de diferentes culturas. “A unificação de tantas partes de um só continente é complicada, mas o Haiti é um dos países com o maior interesse na busca da solidariedade e integração”, afirmou. Por fim, os também realizadores do Pensar as Américas, Irene Campos e Enzo Betancourt, presidente da Union Panamericana de Ingenieros (Upadi) e vice-presidente da Upadi nos países bolivarianos, respectivamente, deram suas contribuições. Betancourt se comprometeu em realizar no próximo ano o segundo seminário em Caracas, na Venezuela, e o terceiro na Costa Rica em 2012. Irene Campos salientou que o primeiro seminário é o início de uma concepção de futuro maior construída a longo prazo. “Já iniciamos estudos de projetos de desenvolvimento e sustentabilidade e porque não nos unirmos para trocar ideias, profissionais e recursos como um só país, um só continente”, discursou. No primeiro dia foi trabalhado o tema Políticas e Desafios para a Integração Panamericana, que teve como palestrantes Marcos Costa Lima, professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Idalbert Pierre-Jean, embaixador do Haiti, e Bruno Risios Bath, diretor do Departamento do Mercosul do Ministério das Relações Exteriores. Marcos Costa Lima elogiou o Itamaraty, disse que a grande virtude do órgão federal é conseguir manter relações pacíficas com países vizinhos, a exemplo da Bolívia, Paraguai e Venezuela, mantendo sempre uma política respeitosa. O embaixador do Haiti, Hidalbert Pierre-Jean se mostrou pouco otimista quanto à proposta, mas ressaltou que o Haiti é um dos países com maior interesse na integração. "É importante avaliar as necessidades de países e regiões para que a tão sonhada integração das nações não seja uma ficção e sim uma realidade latente, capaz de gerar soluções exatas para os problemas que afetam as populações", afirmou. Em um segundo momento foi debatido o tema Visões Oficiais dos Governos dos Países do Continente Panamericano sobre o Desenvolvimento e a sua Integração. Ministraram palestras sobre o assunto Bruno Risios Bath, do Ministério das Relações Exteriores, Antônio Caparó Marichal, presidente da União Nacional de Arquitetos e Engenheiros da Construção de Cuba (UNAICC), e Jesus Uzcategui, engenheiro venezuelano. Ainda no primeiro dia de seminário, foi discutido o Posicionamento das Agências Nacionais e Internacionais de Fomento ao Desenvolvimento Socioeconômico. Na mesa estavam presentes Fernando Castilhos, do BNDES, Irene Campos, da Upadi, e Aldebaran Naumann, diretor da Federação Brasileira de Associações de Engenheiros (Febrae). Com foco no Meio Ambiente, a última palestra do dia tratou das Ações Estruturadoras de Interesse Comum entre as Nações Panamericanas. Como debatedores, estiveram presentes o secretário executivo de Meio Ambiente de Pernambuco, Hélvio Polito, o presidente do Conselho Mundial dos Engenheiros Civis (WCCE), Emilio Colón, e a professora da UFPE, Maria do Carmo Martins Sobral. Paralelo às palestras, aconteceu o workshop da Federação Mundial dos Organizações de Engenharia do Canadá, que trouxe como tema principal “Como a Mudança Climática afetará a Infraestrutura Civil nas Nações Latino-Americanas e Caribenhas?”. No terceiro dia do evento, o engenheiro e professor da Universidade de Pernambuco (UPE), Arnaldo Cardim, falou sobre o tema A Urbanização e a Cidadania – Moradia para Pessoas de Baixa Renda. O palestrante destacou os aspectos que contribuem para o déficit de moradia como os desastres ambientais e as ações antrópicas que acabam ocorrendo, inclusive, na produção de cimento, matéria prima para a construção de novas moradias. Ainda sobre o mesmo tema, o superintendente Regional da Caixa Econômica Federal, Alex Norat, falou sobre as atividades da instituição financeira para os convidados estrangeiros e, mais especificamente, sobre o tema da palestra. Apresentou as metas do Programa Habitacional do Governo Federal, Minha Casa Minha Vida, que propõe a construção de um milhão de moradias populares. Outro tema debatido na programação do Pensar as Américas foi a Produção de Alimentos para Erradicação da Fome em todo o Continente Panamericano. Como palestrante, o engenheiro de Pesca e professor em Oceanografia Biológica Vanildo Souza de Oliveira falou sobre a pesca e o cultivo de peixes e crustáceos como fonte de alimento. O seminário também foi palco para discussão sobre a Matriz de Transporte para o Continente Panamericano com a apresentação do engenheiro venezuelano Jesus Uscategui, sobre a realidade caótica do modelo atualmente utilizado em seu país, o engenheiro, Maurício Pina, que deu uma ideia geral sobre a realidade dos 96 mil kilômetros de rodovias brasileiras. Também discursaram o presidente do Porto de Suape e secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Fernando Bezerra Coelho, e a professora da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), Gertrudes Nadler Lins, com informações sobre dados econômicos e novos investimentos que estão aportando no Estado. A Matriz Energética para o Continente Panamericano e a sua Integração também foi contemplada no seminário. Para falar sobre o assunto, estavam presentes o superintendente de Operações no Exterior da Eletrobrás, Sinval Zaidan Gama, o engenheiro da Itaipu Binacional, Miguel Sória, e o engenheiro Cláudio Artavia, do Conselho de Eletrificação da América Central. Por fim, o último tema discutido foi sobre Mobilidade Urbana e Acessibilidade com os palestrantes Camilo Santamaría, engenheiro colombiano, que explicou sobre o sistema de transporte em Bogotá, as mudanças e melhorias, e o engenheiro e professor da UFPE, Osvaldo Lima Neto, que expôs o trânsito e o transporte no Recife. Após o término das palestras, os participantes se reuniram para as considerações finais a fim de propor idéias para o próximo evento do Pensar as Américas, elaborando a Carta do Recife. Visitas – Na sexta-feira (26), quarto dia do evento, uma visita técnica levou ao Porto de Suape os participantes do Pensar as Américas às obras da Refinaria Abreu e Lima, às instalações de novos empreendimentos que estão em fase de construção e à Torre de Controle, de onde se tem uma vista geral da ampliação que está sendo executada. Durante a tarde, as delegações realizaram uma visita ao Sítio Histórico de Olinda. Pensar – O evento representou o primeiro passo do projeto Pensar as Américas, proposto em 19 de setembro de 2009, na Carta de Caracas, elaborada no lançamento do projeto “Pensar a Venezuela”, cujo objetivo é promover debates entre os profissionais da área tecnológica para sugerir uma proposta de desenvolvimento sustentável para o país, nos mesmos moldes do Projeto “Pensar o Brasil”, do Confea. O documento pontua dois objetivos para o projeto Pensar as Américas: promover nas organizações-membro da Upadi projetos de países que contenham diagnóstico relativo à Engenharia e profissões afins, seguidos de estratégias de longo prazo para o desenvolvimento sustentável e social e promover a integração e a solidariedade regional, como um dos elementos básicos na concepção dos planos estratégicos. O seminário foi composto por uma plateia de convidados formadores de opinião dentre os quais, representantes de instituições públicas, instituições de ensino superior, organizações não-governamentais e empresas prestadoras de serviços de Engenharia, Arquitetura, Agronomia Meteorologia e Agrimensura.