Capa > Destaque > Colaboradores e profissionais do Sistema fazem teste rápido de hepatite C

Colaboradores e profissionais do Sistema fazem teste rápido de hepatite C

DSCF7229Prevenção e promoção da saúde. Com esse mote, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE) promoveu, nesta segunda-feira (26), testagem rápida de hepatite C. A ação, iniciada a partir das 8h, foi uma parceria do Regional com o Rotary Clube e a Associação Brasileira dos Portadores de Hepatite (ABPH). Durante todo o dia, aproximadamente 100 pessoas, entre colaboradores e profissionais, fizeram os exames.

“A ação é mais uma maneira de prevenir essa doença silenciosa. É mais uma maneira do Crea-PE cuidar de quem faz o Conselho, seja funcionário ou profissional do Sistema”, destacou Evandro. Atualmente, a hepatite C é a maior epidemia da humanidade. Ela já superou à AIDS/HIV em 5 vezes. A transmissão é por contato sanguíneo, via transfusões, dentistas, seringas compartilhadas etc. Não se transmite por sexo, a menos que haja sangramento mútuo. Não tem vacina. Existem subdivisões de seu vírus (o genótipo 1, 2 e 3 e os raros 4, 5 e 6). Existem, no mundo cerca de 200 milhões de pessoas que carregam o vírus da hepatite C.

OO que é a hepatite C?

A hepatite C é uma doença infecciosa que ataca o fígado e é causada pelo vírus VHC.

Por que é importante fazer o teste?

Segundo especialistas, a testagem para hepatite C é necessária porque a doença não apresenta sintomas em 95% dos casos, sendo comum o diagnóstico já em estágio avançado.

Em que consiste essa testagem?

O teste de hepatite C é feito por meio de exame de sangue, que detecta a presença de anticorpos contra o vírus no organismo. Caso dê positivo, um outro exame, que analisa o material genético do vírus, é feito. Mais um positivo aponta a necessidade de biópsia do fígado para indicação de tratamento.

Dependendo do caso, pode ser realizado um teste rápido para detecção da doença, cujo resultado sai em até 30 minutos.

Como a hepatite C é transmitida?

As vias de transmissão mais comuns são transfusões de sangue e compartilhamento de agulhas e seringas contaminadas. Muito raramente, há transmissão da mãe para o bebê (no útero ou no parto) e por relação sexual (com sangramento mútuo).

 A doença pode levar à morte?

Sim, daí a importância do teste e do diagnóstico o mais precoce possível. Depois de 20 anos, a infecção da hepatite C evolui para cirrose em 25% dos pacientes, tudo de forma assintomática. O problema provoca a falência do fígado e, se não tratado, leva à morte.

Nos casos sintomáticos de hepatite C, que sinais o corpo dá de que algo errado está acontecendo com o fígado?

São sintomas de descompensação do fígado a confusão mental (encefalopatia), a icterícia (pele e olhos amarelados), a ascite (concentração de líquido no abdômen) e vermelhidão em mãos, pés e pernas.

A doença tem cura?

Cerca de 80% dos pacientes com hepatite C têm cura completa, mas é importante lembrar que aqueles que contraíram cirrose precisam continuar tratando o problema. Ou seja, é possível obter a cura do vírus VHC e permanecer com a cirrose.

Como é o tratamento da hepatite C?

Ele é feito, basicamente, com três tipos de medicamentos, todos fornecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS): interferon, ribavirina e inibidores de protease (distribuição limitada a pacientes graves).

Rui Gonçalves
ASC do Crea-PE

 

Free WordPress Themes - Download High-quality Templates