Conselho Nacional de Defesa Civil discutirá tragédias das chuvas

Em conversa nesta manhã (25) com o ministro Fernando Bezerra Coelho, da Integração Nacional, o presidente do Confea, Marcos Túlio de Melo, foi informado da convocação da reunião do órgão, na próxima segunda-feira, dia 31, às 14h30, em Brasília.  Na última sexta-feira, 21, o Confea, como membro do Condec, enviou ofício ao Ministério, solicitando a reunião “em virtude da necessidade de analisarmos as medidas tomadas pelos órgãos municipais, estaduais e nacionais em relação às consequências das chuvas no país, bem como definirmos diretrizes para um plano nacional de prevenção de tragédias, é que solicitamos esse encontro”, afirmou Marcos Túlio.

Mobilização – Os presidentes do Confea e dos Creas do Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Pernambuco se reuniram na semana passada (18.01) com o objetivo de definir ações concretas do Sistema Confea/Crea para atender à situação emergencial existente nas regiões atingidas, decorrente das grandes chuvas e inundações. Também nessa mesma linha de proatividade e de mobilização, o Confea se reuniu na última sexta-feira (21.01) com Roseli Zerbinato, da Secretaria de Relações Institucionais (SRI) do Governo Federal, e com José Magalhães de Sousa, da Cáritas Brasileira. Na pauta da reunião, o assunto foi a tragédia causada pelas chuvas na área serrana do Rio de Janeiro e a discussão de uma pauta conjunta para o Condec.

Os conselheiros federais, que se reúnem em sessão plenária a partir de amanhã, 26, com transmissão pela internet, , também deverão discutir o assunto, bem como os presidentes de Creas e Mútua, que estarão reunidos em Brasília nesta quinta e sexta-feira.

Encontro de Lideranças – o tema enchentes também deverá ser tratado no Encontro de Lideranças do Sistema Confea/Crea, que acontece de 21 a 25 de fevereiro, em Brasília/DF. “Se possível, traremos experiências internacionais para o debate, a exemplo do ex-presidente da Federação Mundial das Organizações de Engenharia, também coordenador da Defesa Civil na Austrália. Nesse país, o modelo de prevenção contra inundações fez com que o número de mortos fosse bem menor que no caso brasileiro. Naquele país, o número de mortos é de cerca de 20 pessoas, ao passo que as enchentes desse ano na região Sudeste do Brasil já levaram a mais de 800 mortos", lembrou Marcos Túlio.

Para o presidente do Confea é importante discutir ações concretas e compartilhar experiências com outros países. “Convidamos o ministro Fernando Bezerra Coelho para integrar a nossa discussão”, concluiu.

Ondine Bezerra
Assessoria de Comunicação do Confea