Confea saúda 50 anos da Federação Nacional dos Engenheiros

Uma luta em comum a favor dos profissionais da Engenharia brasileira. Assim, o presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), engenheiro civil José Tadeu da Silva, defendeu a importância da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), durante a solenidade comemorativo dos 50 anos da FNE, na terça-feira (13), em Brasília. Em nome do Conselho Federal, José Tadeu saudou a Federação em meio a presidentes de sindicatos de engenheiros de todo o Brasil e políticos. José Tadeu foi acompanhado de lideranças e dirigentes do Sistema Confea/Crea e Mútua, diversos presidentes de Crea.

Foto_Livro_FNE_redNa avaliação do presidente, a FNE possui “uma história de 50 anos na defesa dos profissionais, principalmente os engenheiros brasileiros. Em nome do Confea, nossos parabéns pelas realizações ao longo desses 50 anos de vida. Temos como objetivo comum a nossa valorização profissional, em favor da engenharia brasileira. Nenhum país cresce sem engenharia, sem agronomia. Esta é uma luta constante da FNE e do Confea”, ressaltou.

A engenheira civil Maria de Fátima Ribeiro Có, gerente de Relações Institucionais do Confea, enalteceu a importância da parceria entre o Confea e a FNE, duas instituições com legitimidade para falar em defesa dos profissionais e da Engenharia. Maria de Fátima apontou, por exemplo, o Projeto “Cresce Brasil + Engenharia +Desenvolvimento” , da FNE, como oportunidade integradora do Confea e da Federação, na representação pública da importância da Engenharia brasileira para o desenvolvimento nacional. O projeto foi divulgado durante a solenidade e um pen drive contendo os detalhes da proposta foi distribuído aos convidados. “Mesmo com funções diferentes, o Confea na fiscalização e a FNE na defesa do profissional, há o objetivo comum entre as duas instituições, que é o fortalecimento das categorias”, observou a engenheira.

Em depoimento ao livro “FNE, 50 anos: a luta dos engenheiros brasileiros”, lançado na ocasião, o presidente Murilo Pinheiro considera que “nos anos 2000, a Federação tomou novo fôlego e se uniu à defesa dos profissionais e à luta por seus direitos, a bandeira do desenvolvimento nacional, sob a égide da democracia, distribuição de renda e preservação ambiental. A tradução desse esforço está no projeto Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento, iniciativa lançada em 2006, juntamente com seus 18 sindicatos filiados, que tem sido importante e eficaz instrumento de mobilização pela construção de um país justo, próspero e soberano”.

Entre as autoridades do Sistema Confea/Crea e Mútua presentes, destacamos o vice-presidente do Confea, engenheiro mecânico Julio Fialkosky, o chefe do escritório do Confea no Estado de São Paulo, engenheiro eletricista Paulo Grava; as conselheiras federais Darlene Silva e Ana Constantina, esta com a sua conselheira suplente Michelle Palladino, o diretor financeiro da Federação Brasileira de Associações de Engenheiros (Febrae), engenheiro de telecomunicações Vinicius Marchese; o presidente da Mútua, engenheiro agrônomo Cláudio Calheiros e diretor de benefícios da Mútua, engenheiro agrônomo Ricardo Veiga, a engenheira eletricista Tereza Neumann, presidente do Sindicato dos Engenheiros do Estado do Ceará, acompanhada de autoridades estaduais, o superintendente de Integração do Confea, engenheiro civil José Gilberto Campos, além dos seguintes presidentes de Crea: Acre, engenheiro civil Amarildo Uchôa Pinheiro; Alagoas, engenheiro civil Roosevelt Patriota Cota; Bahia, engenheiro mecânico, Marco Antônio Amigo; Distrito Federal, engenheiro civil Flávio Correia de Sousa; Goiás, engenheiro civil Gérson Taguatinga; Mato Grosso, engenheiro civil Juares Samaniego; Rio Grande do Norte, engenheiro eletricista Modesto Ferreira; Roraima, engenheiro civil Marcos Luciano Camoeiras; e Santa Catarina, engenheiro civil Carlos Alberto Xavier.

Equipe de Comunicação do Confea