Capa > Destaque > Crea-PE anuncia resultado de Obras Prioritárias em palestra especial sobre BIM

Crea-PE anuncia resultado de Obras Prioritárias em palestra especial sobre BIM

O webinar transmitido na noite de terça-feira (22), pelo canal do youtube do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco, Crea-PE abordou o BIM como o novo marco da construção. O palestrante, engenheiro civil Henrique Diniz falou de todas as vantagens da utilização da tecnologia, como também lembrou a todos os internautas o que estarão perdendo em relação a crescimento e prosperidade do seu negócio ou carreira se, rapidamente não derem esse importante passo na capacitação. Atuando como mediador da agenda, o presidente do Crea-PE, Evandro Alencar, abriu o evento anunciando a apresentação dos resultados obtidos na pesquisa feita pelo órgão pelos profissionais pernambucanos que, escolheram através de votação virtual, as Obras Prioritárias em nível nacional e estadual.

“Mais uma vez entregamos os dados de um projeto realizado na nossa gestão, com foco na valorização do olhar técnico de nossos profissionais, contribuindo com a sociedade em geral”

disse o presidente, após apresentar  o ranking das 05 principais obras federais e estaduais, a serem detalhadas através da imprensa e das mídias do Conselho.

Ao iniciar a sua apresentação Diniz fez um breve relato de algumas obras de que fez parte, utilizando a revolucionária tecnologia BIM, entre elas a participação da construção da Refinaria Abreu e Lima, de mais quatro anexos a ela e, mais recentemente na construção de 3 hidrelétricas.

Com expertise na utilização da ferramenta o palestrante defendeu o uso da tecnologia como sendo uma escolha entre se manter no mercado ou, simplesmente, desaparecer. Já é de conhecimento público que em 2021 só participarão de licitações, empresas que fizerem uso do BIM, a exemplo do exército brasileiro.

Para ser mais enfático na importância da ferramenta Henrique Diniz falou com a perspectiva de 30 anos à frente. “Acerca da infraestrutura para o Brasil crescer possibilitando oportunidades para os profissionais, o que a Engenharia deverá desenvolver nessas 3 décadas”, perguntou, respondendo que já estivemos na confortável colocação de estar entre as 10 maiores economias do mundo e que nos últimos 50 anos a diferença é gritante, parece que a engenharia brasileira parou no tempo.

Como início para uma saída dessa realidade nada animadora, Diniz defendeu que devemos ter novos modelos construtivos, profissionalizar pessoas. O convidado lembrou que nos novos moldes da construção “só vai para obra o que for ser utilizado e que controle, contagem análise de qualidade, tudo isso tem que ser feito fora da obra.” Afirmou que a prática é responsável por maiores percentuais de produtividade e maior custo na manutenção das construções.

Diniz também falou das normas publicadas que definem o que é BIM, fornecendo base de dados de informação de construção e montagens, já definindo o que é BIM.

“É indispensável que tenhamos mão de obra qualificada, equipamentos e projetos, modelados de maneira a favorecer cada vez mais a produtividade, afirmando que a grande maioria dos países do mundo utilizam o BIM e que, essa disseminação nos mostra que não temos como voltar. Agora só podemos andar para a frente”, destacou, lembrando que para isso é necessário evoluir com o uso de ferramentas, métodos e metodologias que atendam as demandas do BIM, capaz de criar projetos de Arquitetura e Engenharia modelados, assim como também nos projetos complementares de Engenharia, instalação hidráulica e elétrica com capacidade de detectar interferências e incompatibilidade com antecedência suficiente para não comprometer, o custo, a qualidade e o prazo de entrega da obra.

Como referência às muitas vantagens do sistema, Henrique Diniz afirmou que o sistema também favorece o controle de custo programado para avaliar a viabilidade financeira do negócio, explicando que as manutenções preventivas também serão bem mais econômicas, acrescentando que segundo dados do governo inglês com a implantação do BIM, o custo da construção de 7 escolas é o mesmo valor de 5 unidades construídas sem o BIM.

Para motivar os internautas, o palestrante disse que tudo sobre BIM está à disposição de qualquer pessoa para auxiliar no controle e na qualidade de construções verticais, rodovias e usinas elétricas, gestão em geral, acrescentando que a ferramenta é necessária para tomar decisões relativas a cronograma, compras e orçamentos.

Consultor do Sebrae lembrou ainda de informar sobre a parceria que existe entre o Crea-PE e o Sebrae para ajudar no que for possível na hora do profissional investir.

Após respondidas as perguntas do público, Dinis agradeceu a oportunidade se colocou à disposição para esclarecer dúvidas e prestar mais esclarecimentos a quem desejar. O presidente destacou a importância do Projeto terça no Crea que proporciona capacitação gratuita aos profissionais e agradeceu a participação do engenheiro civil.

Free WordPress Themes - Download High-quality Templates