Moradias devem ser feitas a partir de estudo que defina ciclo de vida útil

O engenheiro e professor Doutor da Universidade de Pernambuco (UPE), Arnaldo Cardim, falou sobre o tema A Urbanização e a Cidadania – Moradia para Pessoas de Baixa Renda, no terceiro dia do Seminário Pensar as Américas, chamando a atenção para outros aspectos que contribuem para o déficit de moradia como: os desastres ambientais e as ações antrópicas, que acabam ocorrendo, inclusive, na produção de cimento que é matéria prima para a construção de novas moradias.

 Definindo o que significa uso e consumo, é de opinião que devemos todos optar pelo usar, já que, o consumo, tende a exaurir os recursos. Por fim sugeriu que programas para solucionar déficit habitacional, sejam feitos a partir de um estudo que determine o ciclo de vida útil dos empreendimentos, e que os mesmos sirvam para reflexão de ações que possam ser implementadas para que haja a ampliação da vida útil desses produtos que, como qualquer outro, requer cuidados e manutenções.

O Doutor Arnaldo disse ainda, ser de grande importância a troca de tecnologias entre os países para a solução de problemas ambientais, econômicos, sociais e habitacionais. Para isso, é necessário também, que se criem protocolos que possam aproximar as unidades de medidas para que haja uma melhor definição do que é bom e mau, uma vez que esses conceitos partem, na grande maioria das vezes, de opiniões subjetivas e, portanto, questionáveis e discutíveis.

Ainda sobre o mesmo tema, o superintendente Regional da Caixa Econômica Federal, Alex Norat, falou sobre as atividades da instituição financeira para os convidados estrangeiros e, mais especificamente sobre o tema da palestra, apresentou às metas do Programa Habitacional do Governo Federal, Minha Casa Minha Vida, que propõe a construção de um milhão de moradias populares.

Apresentou números e informou sobre as diversas linhas de crédito, especificando para que camada econômica cada uma delas é oferecida. Por fim, apresentou as metas a serem cumpridas até o final do mandado do atual presidente, Luis Inácio Lula da Silva.

Dilma Moura

ASC do Crea-PE