A produção de café no Agreste pernambucano é o tema do Crea Convida

Encontro acontecerá excepcionalmente na quarta-feira (8), às 19h, com transmissão ao vivo pela TV Crea-PE, no YouTube

Presente na mesa dos brasileiros, o café é praticamente um patrimônio nacional. Em Pernambuco não poderia ser diferente. Além do hábito do consumo, o grão vem apresentando um crescimento na sua produção. Com um destaque para Taquaritinga do Norte, no Agreste do Estado. A aposta é no mercado do produto mais diferenciado e os resultados podem ser vistos nos números. Hoje, 70% da produção de café de Pernambuco vêm de Taquaritinga, segundo a Associação dos Produtores Orgânicos de Taquaritinga (Aprotaq).

Para falar deste mercado promissor em Taquaritinga e no Estado, o Crea Convida traz o tema “A produção de café no Agreste pernambucano ”. A live será realizada excepcionalmente nesta quarta-feira (8) em função do feriado de 7 de Setembro. O assunto será apresentado pelo presidente da Associação dos Produtores Orgânicos de Taquaritinga (Aprotaq), Antônio Leonel, e por Amanda Ferreira, analista do Sebrae-PE. Também tem a participação da engenheira de alimentos e inspetora do Crea-PE Monnykhe Lorena de Oliveira Melo. Ela trabalha numa indústria de café em Garanhuns e é responsável, entre outras funções, pela classificação dos grãos de café. O evento será transmitido pela TV Crea-PE, no YouTube, a partir das 19h.

Antônio Leonel conta que a produção de café no Estado ganhou fôlego no final dos anos 1990, mas a prioridade era a produção em larga escala, com a preocupação na quantidade e sem muita atenção com a qualidade do grão. Na contramão desta estratégia, Taquaritinga apostou na qualidade. Resultado: dos dois, três produtores que adotaram este caminho, hoje seguem no mercado, enquanto a grande maioria fechou, lembra Leonel.

E a aposta no café de qualidade consolidou-se. Há pouco mais de três anos, quando assumiu a presidência da associação, que foi criada por sua mãe, Antônio e a diretoria da associação procuraram o Governo do Estado e receberam apoio para adquirir novo maquinário, fizeram um chamamento público e o mercado voltou a reaquecer. Taquaritinga conta com pouco mais de 200 produtores de café. A associação, que há três anos tinha oito associados, hoje tem 25.

O setor ganhou reforço com o apoio do Sebrae-PE. Em 2019, fez cursos de gestão para os produtores, além de cursos de finanças, de marketing de vendas e de cooperativismo. Teve ainda realização de treinamento de degustação.

A produção de café aquece um outro mercado: o de cafeteria. Antônio Leonel lembra que não existia estabelecimento deste tipo na própria Taquaritinga até o ano passado. Hoje, há fila nas duas unidades que abriram por lá. O próprio Antônio fez um levantamento e, em um ano, Caruaru, por exemplo, abriu 22 cafeterias.

O consumo brasileiro mais do que justifica esse mercado. Para ter uma ideia, o brasileiro consumiu 826 xícaras de café, em 2020. Uma média de duas xícaras por dia. O setor emprega no país cerca de 3,5 milhões de pessoas. É o equivalente a toda a população do Uruguai. Os dados são da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic).

O debate faz parte do programa Crea Convida, um espaço que o Crea vem abrindo para abordar e discutir temas relevantes para a economia e sociedade do Estado. Depois da apresentação dos temas, sempre é aberto o chat para interação dos participantes com perguntas ou colocações sobre o assunto. O evento é transmitido ao vivo pela TV Crea-PE, mas fica gravado no canal YouTube.