Home > Arquivo > Fórum dos Presidentes do Nordeste discute os impactos da criação do CAU

Fórum dos Presidentes do Nordeste discute os impactos da criação do CAU

Os presidentes dos Conselhos Regionais de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea) do Nordeste estão reunidos hoje (20), em Natal (RN), no Fórum dos Presidentes do Nordeste, para discutir sobre a Lei nº12.378, de dezembro de 2010, que regulamenta o exercício da Arquitetura e Urbanismo e cria o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil – CAU-BR e os Conselho de Arquitetura e Urbanismo dos Estados e do Distrito Federal – CAU. O gerente Financeiro e Contábil do Crea-RN, Sales Pereira, fez uma apresentação com o objetivo de identificar os efeitos e apontar as soluções administrativas, financeiras e contábeis da criação do CAU naquele Regional.

De acordo com a base em dados estatísticos e estudos anteriores levantados pelo Minerva e Minervaweb, Pereira estima que a receita proveniente dos arquitetos e empresas de arquitetura representam de 10% a 12% da receita corrente líquida do Crea do Rio Grande do Norte. “Tendo como referência os dados estatísticos e aplicando o princípio da prudência, estimamos que a queda de arrecadação no orçamento de 2011 será aproximadamente de R$ 990.887,72 mil”, estimou Sales Pereira.
Diante dos impactos no orçamento, as ações imediata adotadas pelo Crea-RN foram: contingenciamento ou redução no orçamento de 2011 de percentual igual a previsão de queda de receita, abertura de conta específica para receber depósitos referente a arrecadação e movimentação financeira que será destinada ao CAU/BR, alteração de rotinas internas para operacionalizar e controlar o movimento financeiro diário da arrecadação do CAU/BR. 
A orientação do o gerente Financeiro e Contábil foi de que, no primeiro momento, os Crea fizessem as seguintes divisões na arrecadação: para anuidade e multas 90% ficaria com o CAU/BR, 1,5% para o Confea e 8,5% para o Crea. Já para a ART esse repasse segue a seguinte proporção: 90% para o CAU/BR, 1,2% Confea, 2% Mútua e 6,8% Crea. Após apuração mensal, os valores devidos ao Confea e Mútua serão depositados em contas bancárias dos respectivos órgãos. “O valor do CAU/BR será depositado na conta específica criada para este fim e cuja titularidade é do Crea-RN”.  
Ele ainda explicou as ações pretendidas e andamento no Crea do Rio Grande do Norte, citando entre elas a criação de mais três convênios prevendo a participação na origem, também na arrecadação do CAU/BR, apenas no percentual da receita do Crea e destinando os seguintes percentuais: anuidades e multas: 1,5% do CONFEA e 98,5% do Crea; ART´s: 1,2% do Confea, 2,0% da MÚTUA e 96,8% do Crea.
“Com base em nossas estatísticas, 72% das ART´s são cobradas pelo valor mínimo, que atualmente é de R$ 33,00. Se o percentual do CAU/BR impacta em 12% na arrecadação, podemos afirmar que 8,64% das ART´s são de arquitetos e cobradas pelo valor mínimo. Tomando como referência o ano de 2010, onde registramos 47.116 ART´s, a quantidade de ART´s de arquitetos é de aproximadamente 2.934 ART´s”, explicou Sales Pereira.
Por fim, ele disse que, com base em dados estatísticos fornecidos pelo Minervaweb, após a devida identificação de profissionais e empresas vinculadas ao CAU/BR, “poderemos avaliar melhor os efeitos na queda de arrecadação das demais receitas”, finalizou.

Check Also

Novo diretor financeiro da Mútua será eleito hoje

Cumprindo determinação do Confea, através da Resolução 1.117/19, bem como a Deliberação nº 147/2020-CEF, aprovada …