Marina Silva diz que sociedade passa por uma crise ‘civilizatória’

Subsidiada por uma vasta experiência na área de Meio Ambiente, a ex-ministra do Meio Ambiente e ex-senadora, a ambientalista Marina Silva, expôs, por mais de uma hora, aos profissionais do Sistema Confea/Crea e estudantes o seu ponto de vista sobre os desafios ambientais no mundo, no painel “Rio + 20: Pesquisa e Inovação no Enfrentamento do Aquecimento Global”, da 68ª Soeaa. De acordo com Marina, a sociedade atravessa várias crises, entre elas econômica, social, ambiental e, principalmente, a de valores.

 
“É fundamental que a gente olhe para essa crise não só como mais um problema de nosso País, mas como aquele, que eu chamo de crise civilizatória. É uma crise que extrapola a nossa capacidade de controlar as coisas. Por isso, é preciso um olhar de urgência. Se não fizermos isso, vamos banalizar essa crise”, defendeu Marina Silva.
 
A ex-ministra lembrou a crise econômica mundial enfrentada pelos países, em 2008, provocada por especulações financeiras e que resultou no desemprego de milhões de pessoas. “Cerca de dois bilhões de seres humanos vivem com menos de dois dólares por dia. Desses, 16 milhões vivem no Brasil. Para eles, a crise econômica começou em 2008?”, indaga a ambientalista, e completa: “para eles a crise sempre existiu porque passam fome. Mas só que, em 2008, a crise alcançou pessoas com dinheiro”.  
 
Quanto à crise ambiental, Marina criticou o uso irracional dos recursos naturais, que ultrapassa os 30% da capacidade da natureza, segundo a ex-ministra. “Estamos diante de uma situação imprevisível e irreversível”, disse. Com relação, aos crimes praticados contra a floresta Amazônica, Marina diz que não é possível perdoar porque só se perdoa quando é possível punir os culpados.
 
Marina propõe uma reflexão aos participantes da Soeaa para que haja uma mudança de paradigma. “Temos que entender que sustentabilidade não é a forma de fazer, mas de sermos. Precisamos nos ‘reconectarmos’ com a infância civilizatória”, defendeu.
 
Kele Gualberto
ASC do Crea-PE